terça-feira, 22 de dezembro de 2009

OS PRÓXIMOS TRÊS(JAN/2010, FEV/2010 E MAR/2010) SERÃO DE TEMPO SECO EM PARTE DO NORTE E NORDESTE...



OS PRÓXIMOS TRÊS(JAN/2010, FEV/2010 E MAR/2010) SERÃO DE TEMPO SECO EM PARTE DO NORTE E NORDESTE...


No Hemisfério Sul, o verão começou nesta segunda-feira com previsões preocupantes dos meteorologistas.


O verão chegou com céu encoberto no litoral de São Paulo. Bem diferente do que se espera dele. No Rio de Janeiro, muito sol e praias lotadas, no exato momento do início do verão. A meteorologia prevê uma estação quente, com temperaturas máximas acima dos 30ºC em boa parte do país.

Com o calor, vem mais chuva, principalmente em regiões que já vinham sendo castigadas durante a primavera. A previsão dos meteorologistas é que chova acima do normal no Sudeste e no Centro-Oeste.
A primavera já foi marcada por chuvas intensas no Sul e Sudeste. Só em dezembro, 31 pessoas morreram no estado de São Paulo por causa de enchentes e deslizamentos de terra. Em Belo Horizonte, já choveu 50% a mais do que o previsto para este mês. E os moradores dessas regiões devem se preparar.
“Para a região Sudeste, estado de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, deve ficar realmente acima da média. Aliada ao calor, juntamente com a umidade, deve provocar chuvas bem intensas no final da tarde, por vezes também pode ter vários dias consecutivos com chuva, aquela chuva contínua”, prevê Lincoln Alves, meteorologista do Cptec-INPE.
O fenômeno El Niño - que é o aquecimento das águas do Oceano Pacífico na região linha do Equador - vai influenciar o verão. Os próximos três meses serão de tempo seco em parte do Norte e do Nordeste.
“Esse aquecimento modifica os ventos em vários níveis da atmosfera e essa modificação dos ventos é o que produz essas condições climáticas”, explica o meteorologista.
FONTE: JORNAL NACIONAL
REDE GLOBO
SEGUNDA FEIRA, 21/12/2009



MEU PONTO DE VISTA:


A IMPREVISIBILIDADE DAS PREVISÕES METEOROLÓGICAS...


Está mais do que evidenciado, que as ações antrópicas estão desnorteando o clima em todos os quadrantes da biosfera terrestre... Principalmente, no caso especifico do semi-árido do Nordeste do Brasil, aonde apresenta um quadro de estação chuvosa, permanentemente de irregularidade na distribuição espacial e temporal... Onde, inexoravelmente, dificulta ainda mais, previsibilidades destas previsões meteorológicas...


Todavia, diante desta incerteza, mão custa fazermos uma reflexão... Não seria salutar, que os "Estudiosos" desta Ciência Meteorológica, ao invés só de estudar os fenômenos atmosféricos, deveriam estudar também, os fenômenos Magmáticos do interior da terra, como por exemplo, o vulcanismo, principalmente, as atividades dos vulcões submersos nos mares e nos oceanos...


Não será que o aquecimento das águas do Oceano Pacifico, no litoral Peruano, conhecido pelo fenômeno meteorológico de EL NINO, seja decorrentes de cadeias de atividades vulcânicas? E saber também, a mensuração dos gases expelidos, como por exemplos, dos vulcões existentes em toda costa do Oceano Pacifico, que vai deste do extremo sul da patagônia chilena até o estremo norte do Alasca... E vê, se esses gases expelidos por esses inúmeros vulcões referidos anteriormente, não influenciam o clima da terra? Sabe-se, que o País da Indonésia, sofre o mesmo problema climatológico, como o semi-árido do Nordeste do Brasil, periodicamente e permanentemente, sofre com os seus períodos de estiagens... Não será por que, a Indonésia, é toda circundada por vulcões?

Como é sabido por todos, que “O Nordeste”... É uma região secularmente, com ocorrências de chuvas... Com irregularidades temporal e espacial de chuvas...Isto (acertos nas previsões meteorológicas dos sertões do Nordeste do Brasil), certamente, só acorrerá um dia... Quando, os "Estudos Meteorológicos"... Descobrirem as verdadeiras "Causas do EL Niño... Caso contrário, ficaremos todos nós sertanejos Nordestinos Brasileiros... Eternamente... Neste chove, não molha... Das especulações das previsões meteorológicas... Para esta região tão sofrida... Por descaso exclusivo... De falta de um "Estudo Cientifico"... Mais profundo... Aonde, se encontrem "As verdadeiras Causas"...Do El Niño...

Que destro deste contexto, seria salutar, que os "Estudiosos" desta Ciência Meteorológica, ao invés só de estudarem os fenômenos atmosféricos...
Deveriam estudar também os fenômenos Magmáticos do interior da terra, como por exemplo, o vulcanismo, principalmente, as atividades dos vulcões submersos nos mares e nos oceanos...


Não será que o aquecimento das águas do Oceano Pacifico, no litoral Peruano, conhecido pelo fenômeno meteorológico de EL NINO, seja decorrentes de cadeias de atividades vulcânicas? E saber também, a mensuração dos gases expelidos, como por exemplos, dos vulcões existentes em toda costa do Oceano Pacifico, que vai deste do extremo sul da patagônia chilena... Até o estremo norte do Alasca... E vê, se esses gases expelidos por esses inúmeros vulcões referidos anteriormente, não influenciam o clima da terra? Sabe-se, que o País da Indonésia, sofre o mesmo problema climatológico, como o semi-árido do Nordeste do Brasil, periodicamente e permanentemente, sofre com os seus períodos de estiagens... Não será por que, a Indonésia, é toda circundada por vulcões? Só assim sendo ao meu vê... Provavelmente, sairemos desta incerteza... Das previsões meteorológicas... Para o Semi-árido dos sertões do Nordeste Brasileiro...


Segundo, meu ponto de vista, basicamente, entre muitos, existem dois fatores preponderantes na determinação na formação das chuvosas, nas quais são, as "Frentes Frias" e as "Convergências de umidades Intertropicais"... Agora, resta saber, adentrando nos fenômenos geofísicos de "Causas e efeitos", afinal, quais são os fenômenos da natureza, que ocasionam as frentes frias e as convergências de umidades intertropicais...Sendo a incidência dos raios solares, a mais importante, pois, as estações de calor (primavera, verão e outono), em seus respectivos hemisférios, norte ou sul, que provoca uma grande intensidade de evaporação das águas dos mares, oceanos e dos mananciais naturais e artificiais, entre outros, afora a fotossíntese das matas e florestas...


Tudo isto, somatiza-se a fervura das águas dos mares e oceanos, provocadas pelas atividades vulcânicas subaquáticas dos mares e dos oceanos, corroborados pelo deslocamento das placas tectônicas, que, por sua vez, através de suas fissuras, liberam gases altamente quentes do magma vindo do interior da Terra...Como se vê, todo isto abordado anteriormente, são as pré-condições para a formação, tanto das frentes frias, quanto das umidades intertropicais...Evidentemente o principal elemento do ciclo das chuvas, e conseqüentemente da vida, é o "sol"... E como se sabe, o sol, estar presente em qualquer ponto (região) da Terra, quer seja no verão ou no inverno...Agora, entretanto, as estações chuvosas, têm suas periodicidades por regiões... Obviamente, se chove mais, nas estações de calor, ou seja , no verão... Todavia, chove também, nas estações de frio, ou seja, no inverno...

Porém, deve-se observar, que, qualquer que seja a região e/ou microrregião do planeta terra, existe seu período definido da estação chuvosa... Como por exemplos, no Nordeste do Brasil, principalmente, em sua região semi-árida, sua estação chuvosa vai, basicamente de Janeiro a Junho...Já, nas Regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil, o seu período chuvoso vai de Setembro a Março...Entretanto, existem regiões que só chove, em seu período restrito de verão, ou seja, os países de clima temperado a polar, clima típico de países escandinavos, como, Noruega, Suécia, entre outros... Por outro lado, existe também, região de clima tropical, ou seja, a Índia, que seu período chuvoso, é no período das Monções, que vai de Dezembro a Março...



Pelo visto, não é somente, as estações de calor e/ou de frio, que definem as estações de chuvas, em qualquer região do planeta terra...Tem essencialmente, haver com os "Movimentos magmáticos do interior da Terra"...Ou melhor, não só, com a definição das estações chuvosas, e, essencialmente, também, com seus períodos de estiagens dentro dos interstícios dos períodos chuvosos...


Se os movimentos magmáticos do interior da terra, chegam através atividades vulcânicas submersas nos mares e oceanos e/ou gases altamente quentes oriundos das fissuras das placas tectônicas...obviamente, deixará as águas dos mares e oceanos susceptíveis a intensas evaporações, provocando formação de chuvas...Entretanto, se for através de sem-atividades de vulcões que circundam as regiões continentais, obviamente, os gases quentes e secos expelidos por estes referidos vulcões, dissiparão as formações chuvosas, porventura, onde estão estacionados os gases (ventos quentes e secos) destes citados vulcões continentais...Que, temos como exemplos típicos, o semi-árido do nordeste do Brasil, devido à atuação do EL Niño, que neste período carreia gases (ventos quentes e secos) dos vulcões existentes ao longo da cordilheira dos Andes, para esta região do polígono das secas do Brasil... E para ser mais preciso, a Indonésia, por ser país este, quase totalmente circundado por atividades vulcânicas deste tipo...


Simbologicamente falando, os movimentos magmáticos do interior da terra, funciona como um colossal fogão, aquecendo uma enorme chaleira (os mares e oceanos), tendo como invólucro à atmosfera, que conseqüentemente, fervendo a água existente nesta hipotética chaleira, que se tornará em parte em vapor de água, que chegando a parte superior da chaleira, a "tampa" (considerada a troposfera, camada da condensação das chuvas), completando pelo visto, em parte, o ciclo da formação das chuvas...


Agora, entretanto, deve-se salientar, que tanto quanto, as frentes frias e as convergências de umidades intertropicais, recebem influencias das estações de calor, principalmente no verão... Os movimentos magmáticos do interior da terra, influenciam também, os sistemas atmosféricos, favoráveis a formação de chuvas, ou seja, as frentes frias e as convergências de umidades intertropicais...


Porventura, alguém perguntar, como os movimentos magmáticos influenciam as frentes frias as convergências de umidades intertropicais? É muito simples...Do jeito que tem frentes frias formadas pelas estações de calor, que degelam as geleiras e calotas polares, que por via de conseqüência, formam as frentes frias, que se deslocam para dos continentes adjacentes...Obviamente, as águas marítimas e oceânicas, aquecidas pelos movimentos magmáticos, quando chegam, as regiões polares (pólo antártico e pólo ártico), através das correntes marítimas, degelam as geleiras e as calotas polares subaquáticas, decorrente disto, levam também, frentes frias, aos continentes adjacentes, através das correntes marítimas (verdadeiros rios caudalosos submarinhos e oceânicos), naturalmente, essas referidas frentes frias, se propaga através dos ventos...


Já concernentes aos movimentos magmáticos, referentes às convergências de umidades intertropicais, é que, as águas marítimas e oceânicas, aquecidas pelos fenômenos do magma do interior da terra, aumentam ainda mais a intensidade das evaporações das estações de calor dos seus respectivos hemisférios (norte e sul), tornando ainda mais susceptíveis a formação de chuvas...Que, naturalmente, em todas regiões da biosfera terrestre, sem exceções, inclusive regiões abundantes de chuvas, como por exemplo, a Região Amazônica, as suas temporadas das estações chuvosas, ou melhor, os seus índices pluviométricos, secularmente, ao longo do tempo, vêm diminuindo...Isto, evidentemente, não só decorrente de uma desertificação natural, que é exponencialmente, acelerada pelo homem, é sobretudo, devido ao lento, porem, gradual e progressivo resfriamento do magma do interior da terra, que ainda, é extremamente quente... O resto não passa de preceitos meteorológicos, já ultrapassados...







DO ESCRITOR DO LIVRO:
ÁGUA: A ESSÊNCIA DA VIDA.
PEDRO SEVERINO DE SOUSA
João Pessoa(PB), 18.12.2009


P.S: ( POIS ESCRITO ):


CONSIDERAÇÕES:

REALMENTE, QUANDO O EL NIÑO...ESTAR ATUANDO...COMO AGORA NO ANO CORRENTE/2009...DE FATO É CONFIGURAÇÃO DE ESTIAGEM NO SEMI-ÁRIDO DO NORDESTE DO BRASIL...
ENTRETANTO, ESTE PREVISÃO ABORDADO ACIMA...NÃO ESTÁ LEVANDO EM CONSIDERAÇÃO A CRESCENTE EXPLORAÇÃO DO GÁS DA BOLIVIA... A PARTIR DE 1999...POIS, AO MEU VÊ, A INTENSA EXPLORAÇÃO DO GÁS DA BOLIVIA...VEIO ATENUAR...OU MELHOR, DIMINUIR OS EFEITOS DO EL NIÑO... POIS, MINIMIZA OS EFEITOS DO “ALTO DA BOLIVIA”...UMA PROVA INCONSTESTE DISTO...FOI QUE DENTRO DESTA DÉCADA EM CURSO....A PARTIR DE 2002...AS CHUVAS FORAM ABUNDANTES NO NOSSO SERTÃO NORDESTINO...EXEMPLOS: 2004, 2006, 2007, 2008 E 2009...



DO ESCRITOR DO LIVRO:

ÁGUA: A ESSÊNCIA DA VIDA
PEDRO SEVERINO DE SOUSA

PESQUISE NO www.google.com.br

"PEDRO SEVERINO DE SOUSA"

sábado, 19 de dezembro de 2009






A análise é fruto da I Reunião de Análise e Previsão Climática para o setor norte do Nordeste, realizada pela AESA, em Campina Grande-PB.

O prognóstico para o período de janeiro a março de 2010, no setor norte do Nordeste, indica a tendência de chuvas variando de normal a abaixo da média histórica e temperaturas mais altas de 1 e 2ºC sobre toda a região. A previsão foi repassada, nesta semana, pelos meteorologistas que participaram da I Reunião de Análise e Previsão Climática, realizada pelo Governo do Estado da Paraíba, através da Agência Executiva de Gestão das Águas (AESA), em Campina Grande.

Durante o evento, que reuniu mais de 150 técnicos e pesquisadores dos principais centros de monitoramento meteorológico do país, foram discutidos diversos temas como: Gestão de Recursos Hídricos, Seca e Agricultura, que apontaram também para uma variabilidade espacial e temporal dos índices pluviométricos, o que significa que em algumas localidades poderão ocorrer uma quantidade de chuvas maior do que em outras.

RELATÓRIO DA I REUNIÃO DE ANÁLISE E PREVISÃO CLIMÁTICA PARA O SETOR NORTE DO NORDESTE DO BRASIL – ANO 2010


Campina Grande, 17 de dezembro de 2009.
INTRODUÇÃO

No período de 15 a 17 de dezembro de 2009 realizou-se, nas dependências da Federação das Indústrias do Estado da Paraíba – FIEP, a I Reunião de Análise e Previsão Climática para o setor norte do Nordeste do Brasil – Ano 2010. Foram analisadas as condições regionais da pluviometria e globais dos oceanos e da atmosfera, assim como os resultados de modelos numéricos de previsão climática sazonal, visando elaborar o prognóstico climático para o trimestre que vai de janeiro a março (JFM) de 2010 sobre o setor norte do Nordeste. A reunião contou com a participação de meteorologistas dos Centros Estaduais de Meteorologia e de Universidades do Nordeste, do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos/Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (CPTEC/INPE) e do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). O evento teve também a participação, via internet, de meteorologistas do CPTEC/INPE em Cachoeira Paulista/SP e INMET, assim como de usuários em diversos pontos do Brasil.

COMPORTAMENTO DA PRECIPITAÇÃO EM NOVEMBRO DE 2009

Climatologicamente o mês de novembro é um período de chuvas escassas na Região Nordeste do Brasil, principalmente no setor norte. Os desvios negativos de precipitação mais acentuados, superiores a 200mm, foram observados no oeste Baiano, enquanto que nas demais áreas da Região, os índices ficaram dentro da normalidade. Durante este mês não houve a atuação de sistemas atmosféricos que gerassem chuvas de maior intensidade. A Figura a seguir mostra os campos da precipitação observada, climatologia e a anomalia de precipitação referente ao mês de novembro de 2009.

ANÁLISE E PREVISÃO DAS CONDIÇÕES OCEÂNICAS E ATMOSFÉRICAS

Os dados observados mostram a continuidade da fase quente do fenômeno El Niño-Oscilação Sul (ENOS) no Oceano Pacífico Equatorial. O fenômeno encontra-se na sua fase madura, porém com intensidade moderada. A maioria dos modelos mostra que o El Niño pode permanecer até o trimestre maio-junho-julho de 2010.
No Oceano Atlântico Tropical Sul observa-se a Temperatura da Superfície do Mar (TSM) próxima a normalidade, enquanto que no Atlântico Tropical Norte há predomínio de anomalias positivas.

Desta forma, para o período de janeiro a março de 2010, a maioria dos modelos climáticos indica tendência de chuvas variando de normal a abaixo da média histórica sobre o setor norte do Nordeste. Para a região que abrange o norte dos estados do Maranhão e Piauí, bem como os estados do Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíba a distribuição de probabilidades é: 25% acima, 40% normal e 35% abaixo da média. No restante da região Nordeste (Pernambuco, Alagoas, Sergipe e norte da Bahia) a previsão probabilística indica tendências de chuvas dentro da normalidade. Com relação à temperatura do ar, a tendência é de anomalias positivas entre 1 e 2ºC sobre toda a Região Nordeste.





CONSIDERAÇÕES COMPLEMENTARES SOBRE O PROGNÓSTICO

É importante ressaltar que o semiárido nordestino tem como característica alta variabilidade espacial e temporal dos índices pluviométricos. Isto significa que algumas localidades poderão receber uma quantidade de precipitação maior do que outras.
Nas condições atuais, poderão ocorrer com maior freqüência períodos curtos sem chuvas (veranicos). Deste modo, recomenda-se o acompanhamento das previsões diárias de tempo, análises e tendências climáticas semanais e mensais.

Observação: Durante a reunião, foi realizada uma vídeo-conferência com os técnicos do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC) do INPE em Cachoeira Paulista e do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) em Brasília.

PARTICIPANTES
- Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba – AESA;
- Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos/Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - CPTEC/ INPE;
- Centro de Ciência do Sistema Terrestre – CCST/INPE;
- Defesa Civil do Estado da Paraíba;
- Departamento de Meteorologia da Secretaria de Recursos Hídricos de Alagoas – DEMET/SEMARH;
- Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural da Paraíba – EMATER;
- Empresa de Infraestrutura Aeroportuária – INFRAERO;
- Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte – EMPARN–RN;
- Empresa Estadual de Pesquisa Agropecuária da Paraíba S.A. – EMEPA;
- Faculdade de Ciências e Tecnologias da Bahia – FTC;
- Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos, FUNCEME-CE;
- Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado da Paraíba - FAPESQ;
- Instituto Federal da Paraíba - IFPB;
- Instituto Nacional de Meteorologia – INMET – 3° Distrito de Meteorologia– Recife/PE
- Instituto Nacional de Meteorologia – INMET – Sede – Brasília/DF;
- Instituto Nacional do Semi Árido – INSA;


- Laboratório de Meteorologia de Pernambuco - Instituto Tecnológico de Pernambuco - LAMEPE/ITEP - Recife-PE;
- Secretaria de Estado da Infra Estrutura;
- Secretaria de Estado da Interiorização da Ação do Governo;
- Secretaria de Estado do Meio Ambiente dos Recursos Hídricos e da Ciência e Tecnologia – SEMARH;
- Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste – SUDENE;
- Unidade Acadêmica de Ciências Atmosféricas/Universidade Federal de Campina Grande – UACA/UFCG;
- Universidade Estadual da Paraíba – UEPB;
- Universidade Federal da Paraíba – UFPB;
- Universidade Federal de Campina Grande - UFCG;
- Laboratório de Meteorologia - Universidade Federal do Vale do São Francisco/ UNIVASF.
- Universidade Federal Rural do Semi Árido - UFERSA;


FONTE: AESA( Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba)









ALGUMAS CONSIDERAÇÕES A RESPEITO DESTAS PREVISÕES METEOROLOGICAS ABORDADAS ACIMA...


SINTETIZADO NO ARTIGO:


A IMPREVISIBILIDADE DAS PREVISÕES METEOROLÓGICAS...

Está mais do que evidenciado, que as ações antrópicas estão desnorteando o clima em todos os quadrantes da biosfera terrestre... Principalmente, no caso especifico do semi-árido do Nordeste do Brasil, aonde apresenta um quadro de estação chuvosa, permanentemente de irregularidade na distribuição espacial e temporal... Onde, inexoravelmente, dificulta ainda mais, previsibilidades destas previsões meteorológicas...


Todavia, diante desta incerteza, mão custa fazermos uma reflexão... Não seria salutar, que os "Estudiosos" desta Ciência Meteorológica, ao invés só de estudar os fenômenos atmosféricos, deveriam estudar também, os fenômenos Magmáticos do interior da terra, como por exemplo, o vulcanismo, principalmente, as atividades dos vulcões submersos nos mares e nos oceanos...

Não será que o aquecimento das águas do Oceano Pacifico, no litoral Peruano, conhecido pelo fenômeno meteorológico de EL NINO, seja decorrentes de cadeias de atividades vulcânicas? E saber também, a mensuração dos gases expelidos, como por exemplos, dos vulcões existentes em toda costa do Oceano Pacifico, que vai deste do extremo sul da patagônia chilena até o estremo norte do Alasca... E vê, se esses gases expelidos por esses inúmeros vulcões referidos anteriormente, não influenciam o clima da terra? Sabe-se, que o País da Indonésia, sofre o mesmo problema climatológico, como o semi-árido do Nordeste do Brasil, periodicamente e permanentemente, sofre com os seus períodos de estiagens... Não será por que, a Indonésia, é toda circundada por vulcões?



Como é sabido por todos, que “O Nordeste”... É uma região secularmente, com ocorrências de chuvas... Com irregularidades temporal e espacial de chuvas...Isto (acertos nas previsões meteorológicas dos sertões do Nordeste do Brasil), certamente, só acorrerá um dia... Quando, os "Estudos Meteorológicos"... Descobrirem as verdadeiras "Causas do EL Niño... Caso contrário, ficaremos todos nós sertanejos Nordestinos Brasileiros... Eternamente... Neste chove, não molha... Das especulações das previsões meteorológicas... Para esta região tão sofrida... Por descaso exclusivo... De falta de um "Estudo Cientifico"... Mais profundo... Aonde, se encontrem "As verdadeiras Causas"...Do El Niño...

Que destro deste contexto, seria salutar, que os "Estudiosos" desta Ciência Meteorológica, ao invés só de estudarem os fenômenos atmosféricos...
Deveriam estudar também os fenômenos Magmáticos do interior da terra, como por exemplo, o vulcanismo, principalmente, as atividades dos vulcões submersos nos mares e nos oceanos...


Não será que o aquecimento das águas do Oceano Pacifico, no litoral Peruano, conhecido pelo fenômeno meteorológico de EL NINO, seja decorrentes de cadeias de atividades vulcânicas? E saber também, a mensuração dos gases expelidos, como por exemplos, dos vulcões existentes em toda costa do Oceano Pacifico, que vai deste do extremo sul da patagônia chilena... Até o estremo norte do Alasca... E vê, se esses gases expelidos por esses inúmeros vulcões referidos anteriormente, não influenciam o clima da terra? Sabe-se, que o País da Indonésia, sofre o mesmo problema climatológico, como o semi-árido do Nordeste do Brasil, periodicamente e permanentemente, sofre com os seus períodos de estiagens... Não será por que, a Indonésia, é toda circundada por vulcões? Só assim sendo ao meu vê... Provavelmente, sairemos desta incerteza... Das previsões meteorológicas... Para o Semi-árido dos sertões do Nordeste Brasileiro...

Segundo, meu ponto de vista, basicamente, entre muitos, existem dois fatores preponderantes na determinação na formação das chuvosas, nas quais são, as "Frentes Frias" e as "Convergências de umidades Intertropicais"... Agora, resta saber, adentrando nos fenômenos geofísicos de "Causas e efeitos", afinal, quais são os fenômenos da natureza, que ocasionam as frentes frias e as convergências de umidades intertropicais...Sendo a incidência dos raios solares, a mais importante, pois, as estações de calor (primavera, verão e outono), em seus respectivos hemisférios, norte ou sul, que provoca uma grande intensidade de evaporação das águas dos mares, oceanos e dos mananciais naturais e artificiais, entre outros, afora a fotossíntese das matas e florestas...

Tudo isto, somatiza-se a fervura das águas dos mares e oceanos, provocadas pelas atividades vulcânicas subaquáticas dos mares e dos oceanos, corroborados pelo deslocamento das placas tectônicas, que, por sua vez, através de suas fissuras, liberam gases altamente quentes do magma vindo do interior da Terra...Como se vê, todo isto abordado anteriormente, são as pré-condições para a formação, tanto das frentes frias, quanto das umidades intertropicais...Evidentemente o principal elemento do ciclo das chuvas, e conseqüentemente da vida, é o "sol"... E como se sabe, o sol, estar presente em qualquer ponto (região) da Terra, quer seja no verão ou no inverno...Agora, entretanto, as estações chuvosas, têm suas periodicidades por regiões... Obviamente, se chove mais, nas estações de calor, ou seja , no verão... Todavia, chove também, nas estações de frio, ou seja, no inverno...

Porém, deve-se observar, que, qualquer que seja a região e/ou microrregião do planeta terra, existe seu período definido da estação chuvosa... Como por exemplos, no Nordeste do Brasil, principalmente, em sua região semi-árida, sua estação chuvosa vai, basicamente de Janeiro a Junho...Já, nas Regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil, o seu período chuvoso vai de Setembro a Março...Entretanto, existem regiões que só chove, em seu período restrito de verão, ou seja, os países de clima temperado a polar, clima típico de países escandinavos, como, Noruega, Suécia, entre outros... Por outro lado, existe também, região de clima tropical, ou seja, a Índia, que seu período chuvoso, é no período das Monções, que vai de Dezembro a Março...


Pelo visto, não é somente, as estações de calor e/ou de frio, que definem as estações de chuvas, em qualquer região do planeta terra...Tem essencialmente, haver com os "Movimentos magmáticos do interior da Terra"...Ou melhor, não só, com a definição das estações chuvosas, e, essencialmente, também, com seus períodos de estiagens dentro dos interstícios dos períodos chuvosos...

Se os movimentos magmáticos do interior da terra, chegam através atividades vulcânicas submersas nos mares e oceanos e/ou gases altamente quentes oriundos das fissuras das placas tectônicas...obviamente, deixará as águas dos mares e oceanos susceptíveis a intensas evaporações, provocando formação de chuvas...Entretanto, se for através de sem-atividades de vulcões que circundam as regiões continentais, obviamente, os gases quentes e secos expelidos por estes referidos vulcões, dissiparão as formações chuvosas, porventura, onde estão estacionados os gases (ventos quentes e secos) destes citados vulcões continentais...Que, temos como exemplos típicos, o semi-árido do nordeste do Brasil, devido à atuação do EL Niño, que neste período carreia gases (ventos quentes e secos) dos vulcões existentes ao longo da cordilheira dos Andes, para esta região do polígono das secas do Brasil... E para ser mais preciso, a Indonésia, por ser país este, quase totalmente circundado por atividades vulcânicas deste tipo...


Simbologicamente falando, os movimentos magmáticos do interior da terra, funciona como um colossal fogão, aquecendo uma enorme chaleira (os mares e oceanos), tendo como invólucro à atmosfera, que conseqüentemente, fervendo a água existente nesta hipotética chaleira, que se tornará em parte em vapor de água, que chegando a parte superior da chaleira, a "tampa" (considerada a troposfera, camada da condensação das chuvas), completando pelo visto, em parte, o ciclo da formação das chuvas...


Agora, entretanto, deve-se salientar, que tanto quanto, as frentes frias e as convergências de umidades intertropicais, recebem influencias das estações de calor, principalmente no verão... Os movimentos magmáticos do interior da terra, influenciam também, os sistemas atmosféricos, favoráveis a formação de chuvas, ou seja, as frentes frias e as convergências de umidades intertropicais...





Porventura, alguém perguntar, como os movimentos magmáticos influenciam as frentes frias as convergências de umidades intertropicais? É muito simples...Do jeito que tem frentes frias formadas pelas estações de calor, que degelam as geleiras e calotas polares, que por via de conseqüência, formam as frentes frias, que se deslocam para dos continentes adjacentes...Obviamente, as águas marítimas e oceânicas, aquecidas pelos movimentos magmáticos, quando chegam, as regiões polares (pólo antártico e pólo ártico), através das correntes marítimas, degelam as geleiras e as calotas polares subaquáticas, decorrente disto, levam também, frentes frias, aos continentes adjacentes, através das correntes marítimas (verdadeiros rios caudalosos submarinhos e oceânicos), naturalmente, essas referidas frentes frias, se propaga através dos ventos...

Já concernentes aos movimentos magmáticos, referentes às convergências de umidades intertropicais, é que, as águas marítimas e oceânicas, aquecidas pelos fenômenos do magma do interior da terra, aumentam ainda mais a intensidade das evaporações das estações de calor dos seus respectivos hemisférios (norte e sul), tornando ainda mais susceptíveis a formação de chuvas...Que, naturalmente, em todas regiões da biosfera terrestre, sem exceções, inclusive regiões abundantes de chuvas, como por exemplo, a Região Amazônica, as suas temporadas das estações chuvosas, ou melhor, os seus índices pluviométricos, secularmente, ao longo do tempo, vêm diminuindo...Isto, evidentemente, não só decorrente de uma desertificação natural, que é exponencialmente, acelerada pelo homem, é sobretudo, devido ao lento, porem, gradual e progressivo resfriamento do magma do interior da terra, que ainda, é extremamente quente... O resto não passa de preceitos meteorológicos, já ultrapassados...



DO ESCRITOR DO LIVRO:
ÁGUA: A ESSÊNCIA DA VIDA.
PEDRO SEVERINO DE SOUSA
João Pessoa(PB), 18.12.2009



P.S: ( POIS ESCRITO ):


CONSIDERAÇÕES:

REALMENTE, QUANDO O EL NIÑO...ESTAR ATUANDO...COMO AGORA NO ANO CORRENTE/2009...DE FATO É CONFIGURAÇÃO DE ESTIAGEM NO SEMI-ÁRIDO DO NORDESTE DO BRASIL...




ENTRETANTO, ESTE PREVISÃO ABORDADO ACIMA...NÃO ESTÁ LEVANDO EM CONSIDERAÇÃO A CRESCENTE EXPLORAÇÃO DO GÁS DA BOLIVIA... A PARTIR DE 1999...POIS, AO MEU VÊ, A INTENSA EXPLORAÇÃO DO GÁS DA BOLIVIA...VEIO ATENUAR...OU MELHOR, DIMINUIR OS EFEITOS DO EL NIÑO... POIS, MINIMIZA OS EFEITOS DO “ALTO DA BOLIVIA”...UMA PROVA INCONSTESTE DISTO...FOI QUE DENTRO DESTA DÉCADA EM CURSO....A PARTIR DE 2002...AS CHUVAS FORAM ABUNDANTES NO NOSSO SERTÃO NORDESTINO...EXEMPLOS: 2004, 2006, 2007, 2008 E 2009...



DO ESCRITOR DO LIVRO:
ÁGUA: A ESSÊNCIA DA VIDA


PEDRO SEVERINO DE SOUSA


PESQUISE NO www.google.com.br,


"PEDRO SEVERINO DE SOUSA"

sábado, 12 de dezembro de 2009

PROTESTOS EM COPENHAGUE DEIXAM 600 PESSOAS DETIDAS.





PROTESTOS EM COPENHAGUE DEIXAM 600 PESSOAS DETIDAS.


O sábado foi de muita agitação nas ruas de Copenhague, capital da Dinamarca. Onde acontece a Conferência Mundial do Clima.

600 manifestantes foram detidos durante os protestos. É o que contam os enviados especiais Sônia Bridi e Paulo Zero.

De capas azuis representando a água, os manifestantes fizeram uma enchente humana nas ruas de Copenhague.

Apesar da seriedade da manifestação, não faltou bom humor.

“Não temos planeta B”, dizia o cartaz.

Para a polícia, eram 25 mil vozes. Para os organizadores, quatro vezes mais.

Ativistas de várias partes do mundo pretendiam marchar os seis quilômetros até o Bella Center, onde os representantes de 193 países discutem o acordo para frear as mudanças climáticas.

A polícia fechou estradas e tentou bloquear o caminho. Foi então que apesar dos apelos para uma manifestação não-violenta, alguns grupos partiram para o confronto.

Mais de 600 pessoas foram presas. Tantas, que ficaram esperando, quietinhas, no frio de zero grau... Até a polícia encontrar um jeito de levá-las para uma delegacia.

Nesta noite a calma voltou ao centro de Copenhague.Mas de cada dois policiais do país, um já está na cidade. Alemanha e Suécia, além de vigiar as fronteiras para impedir a entrada de novos manifestantes, podem enviar reforço policial nos próximos dias, quando os lideres de 115 países devem chegar para negociar.


FONTE: JORNAL NACIONAL DA REDE GLOBO
SÁBADO, 12.12.12.2009


AINDA BEM...QUE OS ATIVISTAS ECOLÓGICO DO MUNDO INTEIRO(EM TORNO DE 100 MIL)...ESTAM DANDO DESTAQUE...COM TODA JUSTIÇA... A "ÁGUA"...POIS, A ÁGUA: É A ESSÊNCIA DA VIDA...

MOSTRANDO ISTO...ENTÃO, VEJA O TEXTO DO BLOG TERRA PLANETA ÁGUA http://pedroseverinoonline.blogspot.com/2009/03/agua-e-essencia-da-vida.html

AONDE RETRATA ESTA REALIDADE:

A ÁGUA: É A ESSÊNCIA DA VIDA


A origem da vida em nosso planeta surgiu na água .Ao longo de milhões de anos de evolução, os organismos vivos se diversificaram e se espalharam pela Terra , sendo que a sobrevivência de todas as espécies animais e vegetais continua ligada á água.


O ser humano durante a gestação se desenvolve dentro do ventre da mãe , envolto em água.Após o nascimento, abre os olhos para a existência chorando e os fecha pela morte, sob a unção das lágrimas.A lágrima é menor que uma gota d’água, mas se comporta como um meio de comunicação universal , sendo a mensageira da dor e da alegria.

A importância deste precioso líquido se manifesta de forma física , devido a dependência do nosso corpo , que é constituído de 75% de água e também pela espiritualidade.Na tradição cristã , ela esta ligada ao batismo, a purificação e a regeneração.

A ablução com água é fundamental em todas as religiões do Islã ao Taíonismo.Para Lao Tse , no livro Tao Te Ching, a água simboliza a suprema virtude.Para os hindus banhar-se ritualmente no rio Ganges, é uma experiência transcendente.

O “Rig Veda” dos hindus exalta a água como elemento que traz vida, força e pureza: “Vocês, água que reconfortam : tragam-me a força , a grandeza, a alegria e a visão”, diz um hino dos Vedas, pouco antes de definir a água como regente dos povos.

Para o alcorão, a água benta que cai do céu é um dos símbolos divinos.Os jardins do paraíso islâmico tem riachos e fonte de água límpida.

A maior parte da superfície terrestre é coberta de água, mas um volume pouco maior que 2% é doce, e mais de 90% dela esta congelada nas regiões polares ou armazenada em depósitos subterrâneos muito profundos. As águas doces superficiais correspondem a sómente 0,001% deste potencial.Mais de 2/3 da água doce é usada na irrigação, sendo contaminada pelo agrotóxicos ou ad


Nas cidades, o esgoto das casas e industrias é quase todo jogado nos rios e no mar, sem tratamento.A água fica infectada , inclusive com germes que causam doenças transmissíveis, como a cólera. No mundo 2,6 bilhões de pessoas não têm acesso a saneamento básico, ou seja, mais de dois sextos de todos os habitantes do planeta. Outras, 1,8 milhão de pessoas morrem diariamente de desidratação, diarréia e outros problemas decorrentes da falta d’água, das quais 90% são crianças de até cinco anos.Doenças transmitidas por água contaminada matam uma criança a cada 15 segundos no mundo

O garimpo polue os rios com mercúrio , um metal pesado que causa o mal de minamata.Outro problema é a poluição térmica .Ela ocorre quando uma fábrica ou usina, aquece água no processo industrial e despeja quente no rio ou no mar.O líquido quente afeta o metabolismo de plantas e animais, que podem morrer ou deixar de reproduzir.

O Brasil é a maior reserva hidrológica do mundo. Da água doce disponível no país : 70% estão na região norte, 15% na região centro-oeste, 6% no sudeste, 6% no sul e 3% no nordeste.Há pelo menos , em tese, 34 milhões de litro de água para cada brasileiro, embora 20% da população urbana não dispõe de rede de água e esgoto e 65% das internações pediátricas são causadas pela poluição da água.

A irrigação de um hectare no nordeste brasileiro consome 18 mil metros cúbicos de água por ano, em Israel fica em torno de 600 metros cúbicos.Enquanto um habitante do oásis no Saara usa cerca de 3 litros de água por dia. Um habitante do Rio de Janeiro gasta 450 , em Moscou 600 e Nova York , 1045.A quantidade média diária para satisfazer todos os usos de uma pessoa é de 40 litros no máximo.




O Aqüífero Guarani, contem mais de 40 mil km³ de água , volume superior a toda a água contida nos rios e lagos do planeta , e estende-se pelo Brasil (Goiás, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, com 840.000 km²), Paraguai (58.500 km²), Uruguai (58.500 km²) e Argentina (255.000 km²).

A água do Guarani já abastece muitas comunidades nos estados do Sul-Sudeste do país. Estima-se que o aqüífero receba por ano 160 km³ de água adicionais vindos da superfície. O desafio é impedir que estas águas estejam poluídas, para que ele não corra riscos de contaminação.Assim, poderiamos garantir que o abastecimento de água para o Brasil estaria garantido, sem reciclagem e reaproveitamento por milhares e milhares de anos.Imagine então se fizermos uma reciclagem, tratamento e reaproveitamento eficientes. Teremos água para sempre !

No Brasil, o consumo de água per capita multiplicou-se por mais de dez ao longo do século 20. Mesmo assim, existem milhões de cidadãos sem acesso a água de qualidade. É necessário um investimento significativo por parte das autoridades, que se não for efetuado poderá levar ao caos social derivado da falta dágua. Já nos outros países, onde além do problema de gerenciamento existe a falta de reservas de água, o problema poderá ser realmente gravíssimo no futuro próximo .O consumo mundial de água multiplicou por sete no século XX, mais do que o dobro da taxa de crescimento da população.Em alguns países da África e o Oriente Médio, a água já esta escassa e por isto há racionamento.

O ex-presidente do Egito, Anuar Sadat (1918-1981) considerou o papel estratégico da água, a denominando como o ouro azul no Oriente Médio, onde um copo d’água vale mais do que um barril de petróleo. Fica claro, portanto, que neste canto do mundo, para não citar outros, a água pode vir a matar, por razões óbvias, não somente a sede.

A escassez também é a principal causa da degradação da qualidade de vida para um bilhão de pessoas, sem acesso à quantidade diária ideal estimada pela Organização das Nações Unidas (ONU). No continente africano, cerca de 62% da população só tem acesso a algo em torno dos 4 m3/habitante/dia, sendo que, em algumas regiões, o índice é inferior a 3 m3/habitante/dia. Em média, o continente com maior disponibilidade de água é a Oceania, seguido da América do Sul, América do Norte, África, Europa e Ásia.

Em Nairobi, no Quênia, algumas famílias vivem com o equivalente a um copo de água por dia, durante os meses de seca. E o preço da água mineral, nos supermercados, é superior ao dos derivados de petróleo. O desafio urbano da água está assumindo proporções inomináveis,em especial, em vastas áreas da África.

A taxa de urbanização da África é de 5%, em média, a mais rápida do mundo. Dos 138 milhões de pessoas que viviam em cidades africanas, em 1990, espera-se passar para 500 milhões, até 2020. A extrema escassez no abastecimento de água vivida por 8 países sub-saharianos, em 1990, pode então alcançar 20 países, de um total de 29 países desta região.

Como no Brasil, o maior desafio na África é a redução do desperdício.Evaporação nos grandes reservatórios, vazamentos nos sistemas de captação e distribuição, ligações clandestinas, uso irracional são os maiores inimigos dos programas de educação ambiental. Mesmo nos programas internacionais, com o "Água para Cidades Africanas", os progressos são lentos e localizados. Ainda assim, a cidade de Lusaka, na Zâmbia, conseguiu reduzir as perdas de 80 para 45%, no sistema de distribuição.

Dacar melhorou o manejo dos recursos hídricos e criou um sistema preventivo contra a poluição no Lago de Guiers, seu principal reservatório. E em Accra, um plano feito pela comunidade local está reduzindo a poluição no rio Densu. Outro grave problema é o aumento nos níveis de água dos oceanos, supondo uma grave ameaça para as pequenas nações insulares, os países que se encontram a baixa altitude, como Bangladesh e Holanda, e grandes cidades como Nova York, Tóquio, Buenos Aires e Lagos, na Nigéria. Os cientistas calculam que os níveis dos oceanos subirão 48 centímetros entre 1990 e 2100.

“ A falta de acesso à água - para beber, para a higiene e para a segurança alimentar - causa enormes dificuldades a mais de um bilhão de membros da família humana" disse o Secretário-Geral da ONU, Kofi Annan no evento de lançamento do Ano Internacional para Água Potável - 2003, em dezembro de 2002.

O objetivo deste Ano foi chamar a atenção da comunidade internacional para os problemas - inclusive de sobrevivência da espécie - que o mundo enfrenta em decorrência da perspectiva da falta deste recurso precioso e finito, a água. "É provável que a água se torne cada vez mais uma fonte de tensão e de uma feroz competição entre as nações, se a atual tendência se mantiver; contudo, ela pode ser também um catalizador da cooperação.
O Ano Internacional de Água Potável pode desempenhar um papel essencial no que se refere a gerar a ação necessária, tanto da parte dos governos como da sociedade civil, das comunidades, do setor empresarial e dos próprios indivíduos para este fim", declarou Kofi Annan.

Em setembro de 2000, na Cúpula do Milênio das Nações Unidas foi acordado, pelos líderes mundiais, reduzir pela metade até 2015, a percentagem de pessoas que não tem acesso à água e na Cúpula Mundial sobre Desenvolvimento Sustentável de 2002, foi aprovada a meta correspondente para as pessoas sem acesso a serviços de saneamento básico que hoje somam cerca de 2 bilhões e meio. Destes, três milhões de pessoas morrem por ano devido a doenças ligadas à insalubridade.

Um fato inédito marcou o Dia Mundial da Água no ano de 2003.Pela primeira vez, 23 agências e secretarias de convenções das Nações Unidas uniram esforços e especialidades para produzir o World Water Development Report. Com quase 600 páginas, diversos mapas mundiais, gráficos e estatísticas nacionais, o relatório é o mais abrangente e atualizado documento sobre o estado dos recursos de água doce do mundo.

Coordenado pelo Programa Mundial de Avaliação da Água (World Water Assessment Programme - WWAP), o relatório foi apresentado à imprensa no dia 5 de março em Tóquio e foi lançado oficialmente por ocasião do Dia Mundial da Água, 22 de março, durante o III Fórum Mundial da Água que aconteceu no Annex Hall, Kyoto International Conference Hall. O relatório é um dos principais resultados do Ano Internacional da Água Doce.

Devemos nos conscientizar, que as águas não vão acabar no planeta , e nem mesmo estão diminuindo em seu volume de moléculas de H2O, porque este ciclo é fechado e estável.A falta de cuidados adequados na captação de chuvas e, conseqüentemente a poluição dos rios e dos lagos, é que acabará reduzindo o volume de águas doces superficiais, exigindo soluções de alto custo, como a busca de águas subterrâneas profundas ou a dessanilização de águas oceânicas.

Procure lembrar de todo o significado cultural , simbólico e sócio-economico da água na próxima vez em que você for saciar sua sede.O copo de água que você segura nas mãos hoje, contém mais de 10 milhões de moléculas que estiveram em contato com os nossos ancestrais. Precisamos revitalizar a água, pois ela representa um elo com o passado e um compromisso com o futuro das próximas gerações.


FONTE:
ECOVIAGEM

OUTRAS PROPOSTAS PARA SE COMBATER...O AQUECIMENTO GLOBAL...



VÍDEO SOBRE...


AQUECIMENTO GLOBAL - Como combater o Efeito Estufa?




OUTRAS PROPOSTAS PARA SE COMBATER...
O AQUECIMENTO GLOBAL...

O Mundo acompanha a 15ª Conferência sobre Mudanças Climáticas das Nações Unidas (COP-15), em Copenhague (Dinamarca), reunindo 193 países, e que contará com a presença de mais de 100 chefes de Estado e de Governo. A esperança é que seja firmado um acordo global para a redução das emissões de gases causadores do efeito estufa, responsáveis pelo aquecimento do planeta...

É sabido por todos que o modelo energético mundial atual, é ainda, basicamente, derivado da Matriz Fóssil e Nuclear...Que são altamente “Poluente e Degradador” do Meio ambiente global... Urge, então, devido às mudanças climáticas... Que nesta (COP-15), em Copenhague (Dinamarca)... Que se discuta seriamente, a aplicação em “Escala Mundial”... O modelo de energias renováveis, alternativas e limpas (Energia solar, eólica, entre outras)...Que sem sombra de dúvida, atenderá as exigências da ONU(Organização das Nações Unidas)...Das problemáticas do quadro, que ora se apresenta a essa aldeia global...Dos efeitos das mudanças climáticas...Que vem provocando o aquecimento global...

Tudo isto, ao meu vê, seria importante, que agora na 15ª Conferência do Clima da Terra...Que as “Potencias Mundial”...E os Países “Emergentes”(incluindo o Brasil), iniciasse providencias de “Políticas Públicas”...Em caráter de urgência, urgentíssima, repito, executar em “Escala Mundial”... Projetos de energias renováveis, alternativas e limpas...

Só, assim, diminuiria (e muito), as emissões de gases poluentes do modelo de energia fóssil...E da radiação do modelo energético nuclear...Sendo assim, se combateria o “Aquecimento Global”...Sem atropelar o “Desenvolvimento Sustentável”...Com decorrer do tempo, ou melhor, é só questão de tempo, sairá a Humanidade...da dependência do modelo de energia fóssil e nuclear...Só assim , o meio ambiente global, agradecerá...

Agora, em suma, deve-se destacar, apesar desde a “Eco/92, Protocolo de Kioto, e pelo visto, agora em Copenhague(Dinamarca)...Ainda não se discutiu a “Crise Econômica Mundial”... Concernente ao “Setor Primário”...Que é “Latente”...Pois, com o aumento da população mundial, que é crescente, o economista Thomas Robert Malthus (1766-1834) já dizia: “Enquanto que a população humana...Cresce em Progressão Geométrica...A produção de alimentos...Cresce em Progressão Aritmética”...Decorrente disto, pelo visto, estar se criando um grande “Fosso”...Entre o Mundo Virtual, da Cibernética, da Física Quântica, entre outros...Com o Mundo Real...Se continuar assim, certamente, levará a Humanidade...A um possível, Holocausto...


ESCRITOR DO LIVRO:
ÁGUA: ESSÊNCIA DA VIDA
PEDRO SEVERINO DE SOUSA
JOÃO PESSOA(PB), 12.12.2009

PESQUISE NO
www.google.com.br,
“PEDRO SEVERINO DE SOUSA”



terça-feira, 8 de dezembro de 2009

QUE PAÍS É ESTE? (I)



VÍDEO SOBRE...

Legião Urbana - Que país é este? (ao vivo)



QUE PAÍS É ESTE? (I)


Que em 22 de abril de 2000, completou e comemorou 500 anos do seu descobrimento com muito galantismo e apoteose, nem que seja de forma aparente. Pois, se vive de aparência... Onde sua população nativa, o índio, está, pouco a pouco, sendo dizimado, mesmo sob a “proteção” da FUNAI. Como, o índio fosse um estranho no ninho.

Onde a lei do Gerson (levar vantagem em tudo) é a regra geral. A partir daí desencadeando a famigerada corrupção. País do futebol... Do carnaval... Da impunidade... E do faz de conta, onde tudo termina em pizza... Onde só existe punição para o ladrão de galinha...

País da inversão de valores, onde o cidadão de bem, vira “vilão” e o bandido, vira “herói”... Pois os “Direitos Humanos protegem mais o bandido do que o cidadão de bem...

Mas, mesmo assim, faço uma ressalva, o homem não nasce bandido, é a sociedade, que faz o homem de bandido.

País dos desperdícios, quase de tudo, que, aliás, de tudo: Da água até mesmo, digo, principalmente, o erário público, decorrente das obras faraônicas, das obras inacabadas e das obras super faturadas... Afora os desvios (para não falar em fraudes) das verbas públicas, exemplo o da Previdência Social. E mais, onde as novelas televisivas servem de anestésicos para amenizar o sofrimento de seu povo e no balizamento cultural na formação de sua população jovem... E o pior, serve também de parâmetro no condicionamento político cultural de toda a nação.

País dos Sem-terra, apesar de ser um país de dimensão continental e ter quase nove milhões de quilômetros quadrados. E que, aliás, muito mal distribuída... São poucos com muito e muitos sem nada...

Do Menor-abandonado, mesmo existindo um Estatuto da Infância e da Adolescência, que supostamente lhe garante assistência e proteção. Porém, ao meu vê, é um Estatuto, que trouxe mais malefício do que beneficio. Pois, termina viciando e marginalizando o “menor” do que lhe protegendo. Pela seguinte razão: o menor, confiante no amparo deste Estatuto, se joga de corpo e alma no mundo das drogas e da marginalidade.

País onde seu povo nordestino é tratado pelos seus compatriotas no Centro-Sul do país, principalmente os paulistanos, como “cabeça-chata”, nanico, mundiça, e até mesmo, de sub -Raça. Já o carioca, trata o nordestino por “Paraíba”. Não de uma forma elogiosa, mas, de uma forma pejorativa. Nação, onde seu povo carece de tudo, desde educação, saúde, moradia, segurança, trabalho... Tudo isto só ocorre devido um único objetivo: para que este referido povo sirva de “massa de manobra”... Nos pleitos eleitorais... Para que a classe dominante se perpetue no poder...

E, finalmente, o mais deplorável e injusto de tudo isto, é a respeito dos aposentados deste país. Pois, são tratados como “indigentes”... Depois de terem prestado relevantes serviços à União, aos Estados e até mesmo à iniciativa privada... Enquanto que, existe uma minoria que se aposenta bem antes do tempo da maioria dos trabalhadores e mesmo assim, com aposentadorias “Polpudas” e são tratados como uns verdadeiros marajás...


Afinal, que País é esse?


Extraído do livro: Água: a Essência da Vida
Escrito por Pedro Severino de Sousa
João Pessoa- Paraíba- Brasil/ Julho de 2002


P.S: (PÓS ESCRITO ):

Finalmente, aonde os “Estrangeiros”...Em alguns setores, ou melhor, em muitos setores... Comandam e ditam, não só...As “Normas e as Diretrizes”...No Mundo Acadêmico... Aonde os Japoneses, Franceses, Americanos, entre outros...Exercem cargos de “Direção”... Dentro das Universidades Públicas, Privadas... E outras “Esferas”... Do “Poder Constituído”... Deste País...

Que decorrente, disto, ao meu vê... Põe em “Xeque”... A Soberania Acadêmica... Ou melhor, A Soberania Nacional deste País...

Afinal que País é Este?...

PEDRO SEVERINO DE SOUSA
JOÃO PESSOA(PB), 08/12/2009











quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

PROPOSTA DO QUE O BRASIL DEVE “FAZER”...NA 15ª CONFERÊNCIA DO CLIMA EM COPENHAGUE NA DINAMARCA...


VÍDEO SOBRE...


BIOSFERA Entrevista Especial COP 15 - Marina Silva




PROPOSTA DO QUE O BRASIL DEVE “FAZER”...
NA 15ª CONFERÊNCIA DO CLIMA EM COPENHAGUE NA DINAMARCA...


O Brasil como todo mundo já sabe... Que é detentor de maior biodiversidade e biomassa, ou seja, que detém maior reserva de Recursos Naturais da Biosfera Terrestre...Entretanto, apesar da nossa supremacia dos Recursos Naturais no Mundo...Somos ainda, um Pais Subdesenvolvido...Possuidor de um dos menores IDH(Índice de Desenvolvimento Humano)...Ocupando a 75ª posição em ranking... Dentro do contexto Sócio-Economico-Cultural Mundial...

Então, partindo desses pressupostos, é bom ressaltar, que é de fundamental importância, que o Brasil, através dos seus organismos competentes (Ministério do Planejamento, Meio Ambiente, entre outros)...Mostrar ao Mundo o nosso potencial... Nesta 15ª CONFERÊNCIA DO CLIMA EM COPENHAGUE NA DINAMARCA... Que temos a Amazônia, a maior “Reserva Florestal” do Mundo. Afora, a maior Reserva de água doce do Planeta...Isto é, só concernentes, aos Recursos Hídricos Superficiais...Sem contar, com as disponibilidades das águas subterrâneas...Através do aqüífero Guarani, os Aqüíferos do Estado do Piauí, entre outros...

Entretanto, apesar desta imensa “Riqueza Ambiental”, como abordado anteriormente... Ainda somos “Refém”...Dos interesses “Geopolíticos Internacionais”... Como fôssemos “Cúmplices”... Desta Política Neoliberal... Que tanto degrada o “Meio Ambiente Global...

Agora, sem sombra de dúvida, o desemprego, gerado pela recessão econômica, é tão danoso ao meio ambiente, quanto ao aquecimento global, provocado pelas as ações antrópicas do Industrialismo... Um exemplo palpável disto, é o desemprego no Eixo Rio- São Paulo, que leva estas populações desempregadas a povoarem os Morros Cariocas, provocando deslizamentos de meia-encostas e as marginais dos Rios Tietê e Pinheiros, formando verdadeiros cortiços urbanos, trazendo inexoravelmente, problemas socioambientais de igual monta ao “Meio Ambiente...

Agora, entretanto, O Brasil... Ao meu vê, está “Incluído”...Nesta “Farsa”...Das Mudanças Climáticas, criada pelo a ONU(Organização das Nações Unidas)...Através do Relatórios do IPCC(Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas)...Que levam a todos os países “Pobres e Emergentes”...As “Agruras”...Do atraso Sócio-Economico-Cultural...Aonde, “Eles”(as Potencias Mundiais), economicamente falando, “Podem”...”Fazer”, “Tudo”...E os Países “Pobres”...E “Emergentes”...Não “Fazer”, “Nada”...Onde, predomina, aquele ditado popular:

“FAÇA QUE EU DIGO”...”NÃO FAÇA QUE EU FAÇO”...


DO ESCRITOR DO LIVRO: ÁGUA: A ESSÊNCIA DA VIDA
PEDRO SESEVERINO DE SOUSA
JOÃO PESSOA(PB), 05.12.2009

PESQUISE NO
www.google.com.br,
“PEDRO SEVERINO DE SOUSA”

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

PARAÍBA NÃO FEZ O "DEVER DE CASA" E PODE FICAR DE FORA DA TRANSPOSIÇÃO.




VÍDEOS SOBRE...


TRANSPOSIÇÃO: A PARAÍBA AINDA NÃO FEZ O "DEVER DE CASA"... (Parte 1)




TRANSPOSIÇÃO: A PARAÍBA AINDA NÃO FEZ O "DEVER DE CASA"... ( Parte 2)




TRANSPOSIÇÃO: A PARAÍBA AINDA NÃO FEZ O "DEVER DE CASA"... (Parte 3)




TRANSPOSIÇÃO: A PARAÍBA AINDA NÃO FEZ O "DEVER DE CASA"... (Parte 4)





PARAÍBA NÃO FEZ O "DEVER DE CASA" E PODE FICAR DE FORA DA TRANSPOSIÇÃO

Aline Lins
Do Jornal da Paraíba

O vereador pessoense Tavinho Santos (PTB) denunciou que a Paraíba não está preparada, em termos de infraestrutura hídrica e de quadro de pessoal, para receber, gerenciar e utilizar, de maneira sustentável, as águas da Transposição do Rio São Francisco, o que pode ameaçar a continuidade da obra.



É o que conclui um relatório da Agência Nacional de Águas (ANA), a que o vereador teve acesso, sobre o andamento do cumprimento das condicionantes estabelecidas na Resolução ANA n.º 411/2005. Tavinho observou que a Paraíba não vem cumprindo os compromissos celebrados com a União, que visam à sustentabilidade do projeto.
Leia mais:



“A Paraíba não fez o seu dever de casa e nós não estamos preparados para receber as águas do rio São Francisco”, disse o vereador, criticando a “falta de ações do governo do Estado”.


“Temos que cobrar ações urgentes do Estado, ou teremos a conclusão da transposição do São Francisco, em 2010, e a Paraíba vai desperdiçar essas águas, porque não cumpriu sua parte no compromisso, como as obras dos canais necessários para receber as águas, o concurso para contratação de pessoas pela Aesa e a estrutura legal de cobrança da outorga das águas que chegarão pelo eixo norte e leste”, elencou Tavinho.


O relatório revela que a Paraíba não dispõe ainda de pessoal e logística suficientes para o gerenciamento da infraestrutura hídrica existente, nem aquela associada ao Projeto de Integração do Rio São Francisco com as Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional (PISF) em planejamento e construção.


O problema é que o concurso público da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa), órgão a quem compete a operação e manutenção da infraestrutura hídrica estadual, juntamente com a Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa), ainda sequer teve o edital publicado.


A Aesa tem hoje um quadro de pessoal de 54 funcionários, sendo todos cargos comissionados ou cedidos, embora já tenha sido criado, por meio de lei, o quadro de pessoal da Agência. Há previsão de concurso público para 87 vagas, sendo 70% para área técnica, mas o governo ainda não autorizou o certame.


Segundo aponta o relatório, conforme termo de compromisso assinado pelo Estado com o Ministério da Integração Nacional, a operação e manutenção dos açudes de responsabilidade do DNOCS será delegada à Paraíba, que ficará sob responsabilidade da Aesa.

Em setembro de 2005, os governos dos Estados da Paraíba, Pernambuco, Ceará e Rio Grande do Norte, por intermédio dos Ministérios da Integração Nacional, Minas e Energia, Meio Ambiente e da Casa Civil da Presidência da República, firmaram um Termo de Compromisso com a União, para garantia da operação sustentável do projeto, através da atribuição de responsabilidades.

Por meio da resolução n.º 29/05, a Agência Nacional de Águas emitiu a outorga preventiva para o PISF, condicionando a outorga à apresentação de estudos comprovando a sustentabilidade do arranjo institucional e administrativo com a definição de atribuições e competências para a gestão da transposição, além da viabilidade financeira, técnica e operacional do empreendimento, considerando as estações de bombeamento, os canais, as adutoras e o controle das derivações.

FONTE: PARAÍBA1

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

PROPOSTA DE ESTUDO SOBRE MUDANÇAS CLIMÁTICAS...QUE COMBATE O AQUECIMENTO GLOBAL..




VÍDEO SOBRE...

AQUECIMENTO GLOBAL, A TERRA PEDE SOCORRO!


PROPOSTA DE ESTUDO SOBRE MUDANÇAS CLIMÁTICAS...
QUE COMBATE O AQUECIMENTO GLOBAL..



Seria interessante que na COP 15 (Conferência Climática de Copenhagen que acontecerá entre os dias 7 e 8 de dezembro deste ano, na capital da Dinamarca... Debatesse proposta de estudo sobre Mudanças Climáticas...Que combata o Aquecimento Global...

A priori seria de fundamental importância saber...As prováveis “Causas” do El Niño... Que considero ser um dos fatores climatológico mais relevante e determinante do comportamento do clima da terra, pois, quando se faz previsões de secas para o próximo ano, e/ou anos subseqüentes, para todas as regiões semi-áridas da biosfera terrestre, são devido, ao El Niño, ou seja, são causadas pelo o El Niño, e mesmo assim, a ciência Meteorológica, ainda desconhece a sua causa. E como se sabe, para todo efeito existe uma causa. Não se concebe que um fenômeno geofísico tão determinante da climatologia terrestre seja desconhecido sua causa. Entretanto, só se combate se previne ou pelo menos ameniza os efeitos, conhecendo-se as causas. Um exemplo bem prático disto é na medicina, em que, para se tratar e/ou curar uma determinada doença, será preciso, primeiro se conhecer as causas (diagnóstico) desta doença. Isto, no entanto, é o principio básico, a relação causa e efeito de todo conhecimento científico. Portanto, é inconcebível, desconhecer esta causa. Que, aliás, além disto, que é mais intrigante, é que com aquecimento dessas águas do Oceano Pacifico localizado no litoral Peruano, obviamente, suscitando intensa evaporação, pois, como por exemplo, em Lima sua capital, aumenta consideravelmente seus índices de chuvas.ou melhor, o que se sabe, que em Lima no Peru, só se chove no período do El Niño... Enquanto que, apesar dessa já mencionada intensa evaporação, provocada em período de El Niño...E por que, no invés de levar “Umidades”(vapores de água) para as regiões semi-áridas(Nordeste do Brasil, Indonésia e Austrália Setentrional), leva aridez(clima seco) para essas citadas regiões?

No caso especifico do Semi-Árido do Nordeste do Brasil, pergunto, são desconhecidas essas causas? No caso da Indonésia e Austrália Setentrional, ao meu vê, são devido à existência de inúmeros de vulcões continentais, neste mencionados países, que simultaneamente, nos períodos da ocorrência do El Niño, supõe(grifo meu), que seja devido à ocorrência de atividades de cadeias de vulcões neste já propalado litoral peruano, enquanto que, na Indonésia e Austrália Setentrional, nos seus referidos vulcões continentais, não ocorrem uma atividade plena de seus vulcões, aonde não são expelidos lavas, entretanto, devem ocorrem semi-atividades, aonde são expelidos gases hidrocarbonetos halogenados, altamente quentes, que são levados a aquecerem a suas troposfera(camada de condensação das chuvas), pelo visto, dificultando, suas formações de chuvas.

Deve-se ressaltar que a ciência geológica defende a tese de que El Niño, é provocado devido ao deslocamento das placas tectônicas


Que, por sua vez, através de suas fissuras, liberam gases altamente quentes do magma vindo do interior da Terra e/ou por atividades (erupções) de cadeias vulcânicas submersas no Oceano Pacífico ocidental, localizadas na costa do litoral peruano. É mais do que lógica esta tese, do contrário como se explicar o aquecimento dessas águas? Alguns meteorologistas atribuem o aquecimento dessas águas aos ciclos de manchas Solares:

Que ocorrem no intervalo de 12 em 12 anos. Para o melhor esclarecimento: manchas solares são grandes atividades de explosões nucleares e, em conseqüência disto, o Sol emite maior intensidade de calor para o seu sistema solar. Porém, não justifica que só aqueça o local do El Niño, pois as manchas solares, por pequenas que sejam, são bem maiores que o planeta Terra.E afinal, o que significa o El Niño? Na terminologia da palavra, significa o Menino Jesus. Devido, na ocorrência deste fato, essas águas oceânicas do pacífico ficam tão aquecidas, que grandes quantidades de cardumes de peixe, vêm à tona. Em decorrência disto, facilita a sua pescaria, e que também provoca uma grande mortandade de peixes. Isto, no entanto, para os pescadores peruanos, é considerado como se fosse, uma Graça de Deus. Pois, neste período da ocorrência do El Niño, no Peru, país da América do Sul, aumenta substancialmente a produção do pescado em tonelada/peixe e que até mesmo chega a exportar... Pois, os plânctons, algas(flora marinha), vem a tona levando, simultaneamente grandes cardumes de peixes, decorrente do super aquecimento dessas águas na plataforma dorsal deste mencionado oceano. Então, com se vê, existe uma cultura do povo peruano, concernente ao El Niño, que a ciência meteorológica, usou-se deste termo El Niño, para classificar os períodos de estiagens nas diversas regiões da biosfera terrestre(Semi-árido Brasileiro, Indonésia, Austrália Setentrional, entre outras), como períodos de El Niño....Na ausência do El Niño, segundo, os meteorologistas, vem atuar o “La Nina”, em toda sua plenitude, que são chuvas causadas por convergências de umidades intertropicais, decorrentes da intensidade do calor da estação do verão, onde atua o Vórtice (redemoinho) de convergência intertropical, somatizadas com incidências de frentes frias. Agora, que considero uma classificação descabida, de se classificar a estação chuvosa(dentro da normalidade) das regiões semi-áridas da biosfera terrestre, de “La Niña”, em uma convenção, mal colocada, pois, não existe, em nenhuma parte do mundo, culturalmente falando, a cultura do La Niña, a Menina Jesus...Deixando este fato e/ou outras conjeturas de lado, retornemos de fato(segundo, meu ponto de vista) para a essência do El Niño. Por ser a principal, causa na formação de secas, a todas as regiões semi-áridas da biosfera terrestre... Por outro lado, provoca enchentes no sul e sudeste do Brasil, e como também, fortes chuvas no Alasca e no Canadá... Será que essas fortes chuvas no Alasca e na Canadá, são decorrentes do El Niño? Ou é, devido, das atividades vulcânicas submersas no oceano pacífico, próximas a esses países?...Deixando as águas marítimas dessas localidades(Alasca e Canadá), susceptíveis a intensa evaporação, que por via de conseqüência, formando chuvas.Em qualquer, quadrante da biosfera terrestre quer seja no Hemisfério Sul e no Norte, as chuvas são formadas, por convergências de umidades intertropicais e/ou por frentes frias. Naturalmente, as umidades intertropicais e as frentes frias, são formadas, basicamente, por estações de calor, principalmente, no verão, nos seus respectivos hemisférios. Entretanto, segundo, meu ponto de vista, as atividades vulcânicas submersas nos mares e oceanos, vem aquecer as águas marítimas e oceânicas. Corroborando em parte, na evaporação das umidades intertropicais e formação de frentes frias. Já as “semi-atividades vulcânicas,”, pois, não expelem lavas, só gases(ar quente e seco), que circundam os continentes, dissipam as condições favoráveis à formação de chuvas... Pois, o ar quente e seco, oriundo do interior dos vulcões em atividades ou não, chegando ao meio ambiente das regiões semi-áridas, aquecem a camada fria da troposfera., que funcionaria, como camada de condensação das chuvas...Não é a toa, que no deserto de Atacama:

No Chile, na vila de Calama, não chove a séculos... Pois, o deserto de Atacama, fica bem próximo de uma cadeia de vulcões no litoral chileno e como também, devido à Cordilheira dos Andes, obstruir o avanço de umidades para o interior deste mencionado País.







Estudando o “Vulcanismo”, se vê que existem inúmeros vulcões submersos nos mares, e principalmente, em todos os oceanos(Pacífico, Atlântico e Indico)da hidrosfera terrestre, afora os vulcões que circundam os continentes. Na América do Sul ocidental, desde seu extremo sul, na Patagônia Chilena até o seu extremo Norte, na Colômbia na divisa com a América Central no Panamá. Não é diferente também, desde o extremo sul da América Central Ocidental até extremo norte da América do Norte, divisa com circulo polar ártico. Principalmente, na Indonésia, que é plenamente, circundada por vulcões. Por falar na Indonésia, na literatura da “Ciência Meteorológica, diz, que os períodos de estiagens(secas) na Indonésia e regiões circunvizinhas, como por exemplo, na Austrália setentrional, decorrem devido ao El Niño”. Mas, entretanto, são, mais, decorrentes, das atividades dos vulcões, que circundam a Indonésia. Liberando gases quentes e secos para o clima da Indonésia, dissipando as possíveis formações de chuvas.P.S ( PÓS ESCRITO):
Para se entender um pouco das “Causas e Efeitos” dos efeitos do El NIÑO...Para com o semi- árido do nordeste do Brasil, Indonésia e a Austrália setentrional, entre outras regiões da biosfera terrestre...Será preciso que a “Ciência meteorológica”, saiba as “Causas...” Geofísicas desse fenômeno climatológico, tão conhecido que é o El NIÑO...Entretanto, como foi abordado acima, vejo que o “Ciclo Hidrológico”, Decorre e em sua essência da atividade solar, umbilicalmente, conjugada com uma “Maior e/ou Menor( EL NIÑO e/ou LA NIÑA)....Aonde se aumenta e/ou diminui as intensidades das atividades do “Magma do Interior da Terra”... Que ao meu vê, é através das atividades “Vulcânicas” submersas nos mares e oceanos...E como também, das “Placas Tectônicas”...Decorrentes das derivas dos continentes... Aonde se intensifica e/ou diminui os índices de chuvas...Das estações chuvosas...Dos diversos rincões da biosfera terrestre...Para se compreender isto melhor e possíveis soluções, vamos por parte:Quando estiver ocorrendo uma maior intensidade das atividades do magma do interior da terra... Decorrente, talvez, da ascensão do calor do interior da terra, encontrar matérias de explosões nucleares, como o Urânio, entre outros...Que, obviamente, aumenta as atividades “vulcânicas e Sísmicas”... Que sejam nos mares e continentes...Neste caso, obviamente, ocorrerá uma maior intensidade “Vulcânica e Sísmica”, nos mares e continentes... Tudo isto ao meu vê, vem ocasionar o efeito ELNIÑO... Aonde, traz chuvas para o sul e sudeste do Brasil, os países andinos, como Chile, Peru e Equador, até mesmo para o Canadá e o norte dos Estados Unidos da America (EUA)... Enquanto, por outro lado, traz “Estiagem”...Para o semi-árido do nordeste do Brasil, Indonésia, Austrália setentrional, entre outros Países...Agora, entretanto, como explicar tudo isto abordado acima, ou seja, de muita chuva em algumas regiões do planeta terra, como sul e sudeste do Brasil, Peru, Chile e Equador... E estiagens...no semi-árido do Nordeste do Brasil, Indonésia e Austrália setentrional?...Segundo meu ponto de vista, o El Niño, ocorre devido o aquecimento das águas oceânicas decorrente de candeias vulcânicas submersas nos mares e oceanos...Levando a intensa evaporação...Favorecendo a formação de chuvas nas regiões adjacentes...As localidades aonde existem cadeias de vulcões submersas nos mares e oceanos e/ou aonde existem também colisão de placas tectônicas... Exemplo de tudo isto, são neste período (El Niño) de chuvas em Lima no Peru... E das chuvas na Patagônia chilena...Agora, como explicar também, com a ocorrência do El Niño...ocasionar estiagem no semi-árido do nordeste do Brasil, Indonésia e Austrália setentrional... Se o El Niño, ocasionar “Intensa evaporação”... Invés de favorecer a formação de chuvas...faz é trazer “Estiagens” para estas regiões mencionadas acima?...Dentro de um raciocínio lógico, é obvio, que quando, o “EL Niño, vem atuar, é por que as atividades do interior do Magma da Terra... Se encontra com uma maior intensidade...ocasionando as “ Vulcões Continentais”, a uma maior intensidade de atividades...Emitindo maior teor de gases quentes e secos...Para atmosfera terrestre...No caso da ocorrência do El Niño, os vulcões existentes nas Cordilheiras dos Andes(em média com 5.000 metros de altitude)...que se estende desde do extremo sul da Patagônia chilena ( é interessante, mencionar, que só o Chile, é detentor de mais de 2.800 vulcões)...Até extremo norte da Colombia...Vem emitir muito mais gases quentes e secos...Que entram nas correntes dos ventos alísios... Neste período do El Niño...Vem aquecer a troposfera(camada de condensação das chuvas) dos sertões do semi-árido do Brasil...Por ser regiões de “Alta Pressão Atmosfera” ... Venha dissipar as formações de chuvas...Mesmo nas estações chuvosas...Sabe-se, que o País da Indonésia, sofre o mesmo problema climatológico, como o semi-árido do Nordeste do Brasil, periodicamente e permanentemente, sofre com os seus períodos de estiagens...Não será por que, a Indonésia, é toda circundada por vulcões?

Uma prova inconteste sobre tudo isto abordado acima, é que dentro desta década de 2000 em curso...Vem aumentando consideravelmente os índices de chuvas no semi-árido do Nordeste do Brasil...Isto ao meu vê...Decorreu proveniente do aumento paulatino da exploração do “Gás Natural” da Bolívia...Pelo Brasil, Chile,Argentina, entre outros...A partir de 1999...Só o Brasil, por dia consume em média 30 mil toneladas deste mencionado gás da Bolívia...

Agora, como explicar isto...Com o aumento do consumo do Gás da Bolívia...Veio diminuir os Efeitos do El Niño?

È que os “Vulcões da Cordilheiras dos Andes”(Só o Chile, possui mais de 2.800, sendo 800 em plena atividade)...Mesmo, não ocorrendp uma atividade plena de seus vulcões, aonde não são expelidos lavas, entretanto, devem ocorrem semi-atividades, aonde são expelidos gases hidrocarbonetos halogenados, altamente quentes, que são levados...que são levados pelos os “Ventos Alísios a aquecerem a suas troposfera(camada de condensação das chuvas), pelo visto, dificultando, suas formações de chuvas...E pelo visto, como o aumento do consumo do Gás da Bolívia...Vem diminuir essas referidas emissões abordadas anteriormente...Que conseqüentemente, veio diminuir...O efeitos do El Niño nesta atual década de 2000...Que estamos vivendo...


Agora, “ A Grosso Modo”...Seria interessante, e salutar para o “Meio Ambiente Global”...Que a ONU(Organização das Nações unidas), através dos seus organismos de combate ao “Aquecimento Global”... Viesse estimular em “Escala Global”...Principalmente, os países Andinos... A Gerarem as suas “Matrizes Energéticas”... Através de “Termoelétricas, movidas a gás natural... Só assim, penso eu, diminuiria os efeitos do “EL NIÑO...E conseqüentemente, o Aquecimento global...E bom de tudo isto...É que Brasil, através da Petrobrás, vem celebrando contrato de estudo para exploração de Gás da Indonésia e Austrália...E que outros países adotem esta “Idéia do Brasil”...Só assim, pelo visto, se combaterá o Aquecimento Global...


Agora, entretanto, é interessante se fazer uma reflexão sobre tudo isto:

O registro geológico da história da Terra, preservado nas rochas e fósseis, indica que o nosso planeta passou por longos períodos alternados de resfriamento e aquecimento em escala global (TEIXEIRA et al., 2000). Contudo a ação antrópicas nos últimos séculos vem provocando alterações atmosféricas que influenciam diretamente o clima das diversas regiões do mundo, fazendo com que o aquecimento pelo qual nosso planeta está passando seja acima do considerado como normal.

As mudanças climáticas vêm sendo desenvolvidas desde o homem da Idade da Pedra. Por ser um fenômeno que tem nuances de caráter natural, vem substancialmente influenciando por diversos motivos, no aquecimento global. Essas mudanças se tornaram mais visíveis depois do Século XX e no inicio do XXI, logo depois da ‘Revolução Industrial’ em 1780 na Inglaterra.

Nesse contexto tem havido um Antropismo Exacerbado da mais valia absoluta, do capitalismo tido como neoliberal, onde o discurso dos países desenvolvidos tem se perdido pela incoerência de suas ações, onde os desmatamentos, a produção industrial e a poluição pelos gases exalados dos automóveis desencadeiam a aceleração dessas mudanças climáticas.

Na ECO 92, realizada no Rio de Janeiro, houve uma atenção das grandes potências mundiais, ao perceberem a problemática das mudanças climáticas em função das providências não tomadas. Na Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (UNFCCC) e o Protocolo de Kioto: Para estabilizar a concentração mundial de GEE (gases de efeito estufa), em 1992 foram criados instrumentos de direito internacional pelos quais os países reconhecem as mudanças climáticas em andamento, definem responsabilidades e comprometem-se em realizar inventários das emissões de, entre outros. Mesmo observando os tratados de intenções e parcerias, até o presente ano/Abril/2009 não se tem notícia de uma nova ação concreta neste sentido, que possa encontrar uma solução para tal, ou que pelo menos se atenue às causas e efeitos das mudanças climáticas. A ciência que estuda as causas naturais está ainda andando em passos de tartaruga...

Partindo de premissa abordada anteriormente, e deste recente(02/01/2007) Relatório sobre “Mudanças Climáticas” , publicado pelo ONU(Organização das Nações Unidas) em Paris Capital da França. Vem, indubitavelmente, ainda dentro deste Séc. XXI confirmar situações sombrias para inúmeros ecossistemas, para não dizer toda biosfera terrestre, aonde a grande maioria da Humanidade, principalmente nos países pobres, sofrerão com secas, enchentes e oceanos, e outras catástrofes ambientais... Que deixaram muitas populações de muitos rincões, como por exemplo, Ilhas Maldivas, Oceano Indico, litoral Sul do Continente Asiático, e de Grandes Metrópoles(Nova York, Tóquio, Roterdam, Amsterdam, Recife, entre outras), como verdadeiros “Refugiados Ambientais...”
Agora, entretanto, apesar deste quadro dantesco e assombroso, que ora vem se apresentando, o mais preocupante vai ser, como se combater a degradação ambiental(desmatamentos, queimadas, entre outras) e a diminuição das emissões de gases poluentes, sem afetar o crescimento econômico? Não precisa ser especialista em Geoeconomia, para se vê a olho nu, que toda atividade econômica produtiva(Industrial, Agropecuária, etc) afora construções Civis(Estradas, Urbanizações, entre outras) trás, indubitavelmente, degradação ambiental...

Agora, sem sombra de dúvida, o desemprego, gerado pela recessão econômica, é tão danoso ao meio ambiente, quanto ao aquecimento global, provocado pelas as ações antrópicas do Industrialismo... Um exemplo palpável disto, é o desemprego no Eixo Rio- São Paulo, que leva estas populações desempregadas a povoarem os Morros Cariocas, provocando deslizamentos de meia-encostas e as marginais dos Rios Tietê e Pinheiros, formando verdadeiros cortiços urbanos, trazendo inexoravelmente, problemas socioambientais de igual monta ao “Meio Ambiente...

DO ESCRITOR DO LIVRO:
ÁGUA: A ESSÊNCIA DA VIDA
PEDRO SEVERINO DE SOUSA
JOÃO PESSOA(PB), 08.11.2009







domingo, 25 de outubro de 2009

PROPOSTA DE ESTUDO DE OUTRO TRAÇADO ALTERNATIVO DO EIXO NORTE DA TRANSPOSIÇÃO(PISF)...



PROJETO DE INTEGRAÇÃO SÃO FRANCISCO(PISF)



PROPOSTA DE ESTUDO DE OUTRO TRAÇADO ALTERNATIVO DO EIXO NORTE DA TRANSPOSIÇÃO(PISF)...

Como já se sabe, o Eixo Norte, a partir da captação no rio São Francisco próximo à cidade de Cabrobó – PE, percorrerá cerca de 400 km, conduzindo água aos rios Salgado e Jaguaribe, no Ceará; Apodi, no Rio Grande do Norte; e Piranhas-Açu, na Paraíba e Rio Grande do Norte. Ao cruzar o Estado de Pernambuco este eixo disponibilizará água para atender as demandas de municípios inseridos em 3 sub-bacias do rio São Francisco: Brígida, Terra Nova e Pajeú. Para atender a região do Brígida, no oeste de Pernambuco, foi concebido um ramal de 110km de comprimento que derivará parte da vazão do Eixo Norte para os açudes Entre Montes e Chapéu.

Projetado para uma capacidade máxima de 99 m³/s, o Eixo Norte operará com uma vazão contínua de 16,4 m³/s, destinados ao consumo humano. Em períodos recorrentes de escassez de água nas bacias receptoras e de abundância na bacia do São Francisco (Sobradinho vertendo), as vazões transferidas poderão atingir a capacidade máxima estabelecida. Os volumes excedentes transferidos serão armazenados em reservatórios estratégicos existentes nas bacias receptoras: Atalho e Castanhão, no Ceará; Armando Ribeiro Gonçalves, Santa Cruz e Pau dos Ferros, no Rio Grande do Norte; Engenheiro Ávidos e São Gonçalo, na Paraíba; e Chapéu e Entre Montes, em Pernambuco
FONTE:
Ministério da Integração Nacional.

Entretanto, dentro do Projeto Executivo do Eixo Norte da Transposição, é oportuno e salutar... Que se faça “Estudos” de “OUTRO TRAÇADO ALTERNATIVO DO EIXO NORTE DA TRANSPOSIÇÃO(PISF)”...


Já que as obras de captação deste referido Eixo Norte, executadas pelo Exercito Brasileiro, e pelo que se sabe, já estão bem adiantadas...E seus respectivos lotes executivos, todos já licitados...O invés de seguir seu curso Projetado, ou seja, de Cabrobó-PE, passando por Jati-PE... Ate desaguar no açude de Eng. Ávidos no Município e Cajazeiras – PB...

Seguiria outro traçado(caminho)...Ou seja, a partir de Salgueiro-PE... Tomaria outro rumo... Que desaguaria na barragem de SERRINHA II com capacidade Máxima de 311.000(trezentos e onze milhões) de metros cúbicos de água. Localizada no município de Serra Talhada-PE...Que atenderia a uma das entradas alternativa do Projeto São Francisco(PISF) pela na Serra da Baixa Verde,que deságua no vale do Piancó, através do Riacho Piancozinho... Chegando até o “Complexo Coremas-Mãe D´Água”, com capacidade máxima de 1.358.000(hum bilhão trezentos e cinqüenta e oito milhões) de metros cúbicos de água...

Segundo, “Estudos Científicos”, é o manancial de maior eficiência hidráulica... Por possui 21,5m³/m² de eficiência hidraulica, uma das maiores do semi-árido nordestino...Pelo visto, com excelente "Poder Sinergetico"...E melhor distribuição de suas água para o Nordeste Setentrional, ou seja, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte...Por se encontrar localizado dentro de coordenadas geográficas, com latitude 7°3'36"S ; longitude 37°57'52"W e altitude de 245 metros de altura, que lhe dar estas condições naturais, privilegiadíssimas de ser açude distribuidor, por excelência, dos sertões nordestino brasileiro...

Pois, o açude de Coremas, fica literalmente no “Meio” ou seja, “Equidistante”, entre os dois Eixos Norte e Leste... Diante do exposto, dentro do contexto da valorização socioambiental e de uma valorização custo-benefício, esta outra alternativa ora apresentada trariam beneficios sócio-econômico-ambiental entre Salgueiro-PE, Serra Talhada-PE e Santa Cruz da Baixa Verde–PE, se não para o projeto de integração São Francisco(PISF)...

Todavia, certamente, serviria de exemplos, para outros projetos de interligação de bacia Hidrográficas, ou então, na equação no equivoco, ao meu vê, do atual Projeto de integração São Francisco(PISF), concernente ao Eixo Norte...E/ou então, servirá de Proposta para num futuro próximo do Estado de Pernambuco interligar suas bacias hidrográficas do Pajéu, Brígida e Terra Nova...Só assim, atendendo ao Estado de Pernambuco de sua demanda de água, que é crescente, em todos os seus usos, nas suas regiões acima citadas... Em suma, teria uma maior difusão do “Projeto de Integração do São Francisco”(PISF)...Ou seja, distribuiria as águas do “Velho Chico”, com uma melhor “Eqüidade”, Sócio-Econômico-Ambiental...


DO ESCRITOR
PEDRO SEVERINO DE SOUSA
DO LIVRO: ÀGUA: A ESSÊNCIA DA VIDA
JOÃO PESSOA(PB), 23.10.2009

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

"TRANSPOSIÇÃO DAS ÁGUAS DO RIO SÃO FRANCISCO É TEMA DE DISCURSO DE MARCONDES GADELHA NA CÂMARA DOS DEPUTADOS




“Transposição do Rio São Francisco é tema de discurso de Gadelha na Câmara dos Deputados”

Parabéns, Deputado Marcondes Gadelha, pela sua paixão por essa causa tão cristã, tão humanitária. O senhor merece, de pé, os aplausos de todos os paraibanos pela sua luta em defesa desse abençoado projeto de transposição.

O deputado Marcondes Gadelha é, indubitavelmente, um verdadeiro baluarte na luta em defesa da transposição. Por isso, afirmo com muita propriedade, que o pai da transposição, na Paraíba, chama-se: Deputado Marcondes Gadelha.

Peço ao nobre parlamentar, que viabilize uma visita às obras e se possível, convide-me para ver com meus olhos, o sonho de 12 milhões de nordestinos tornando-se uma realidade concreta e existencial.

Caro Deputado, com as bênçãos de Deus e a determinação política do governo Lula, nosso sonho secular tornar-se-á uma realidade concreta e existencial e assim, haveremos de celebrar a festa da libertação. Pois, milhões de irmãos nossos libertar-se-ão das tristes conseqüências da seca.
Valeu deputado!

Padre Djacy Brasileiro,

apaixonado pela luta em defesa transposição.