segunda-feira, 31 de março de 2008

AÇUDE LAGOA DO ARROZ



Açude da Lagoa do Arroz deverá atingir sua capacidade máxima dentro de algumas horas



Algumas cidades estão completamente alagadas devido às últimas chuvas que andam caindo no sertão paraibano, neste último domingo... Fortes chuvas alagaram São João do Rio do Peixe e fez com que as águas do Rio do Peixe transbordassem. Alguns bairros Da cidade Sousa encontram-se completamente alagados.

Com uma capacidade de 80.220.750 m3, o açude de Lagoa do Arroz deverá estar sangrando nas próximas horas, pela primeira vez desde que foi construído, o que fará com que as águas do Rio do Peixe venham a aumentar ainda mais invadindo outros bairros e piorando a situação de quem já se encontra alagado. Toda população ribeirinha está preocupada com o que possa vim a acontecer.

Dentro de instantes mais informações sobre o aumento do nível do Rio do Peixe e Lagoa do Arroz.

Fonte: FolhadoSertão

TETO DE VÔO PREJUDICA VINDA DO GOVERNADOR A SOUSA




Teto de vôo prejudica vinda do Governador a Sousa




O Deputado Lindolfo Pires, acaba de anunciar que, por motivo das fortes nuvens existentes no sertão da Paraíba, foi cancelado o plano de vôo do governador em exercício José Lacerda Neto para o Município de Sousa.“Se o tempo permitir, estaremos amanhã aí em Sousa.
O governador vai anunciou ao meio dia, via o programa de Rádio semanal as ações que estão sendo enviadas para os desabrigados no Município”, disse o Lindolfo.
O deputado afirmou que nesta terça-feira, se as condições climáticas para vôo permitirem, ele mesmo virá ao Município de Sousa. “Foi cancelada a vinda do governador, por quer a Casa Militar vetou temendo a segurança do Chefe do Executivo, mas as ações do Estado, não”, afirmou.
Por causa da instabilidade climática, nuvens muita baixas, não foi possível realizar o teto de vôo, portanto, cancelada a visita do governado em exercício José Lacerda Neto nesta manhã ao Município de Sousa.

Fonte: FolhadoSertão

O GOVERNADOR EM EXERCICIO JOSÉ LACERDA NETO VISITARÁ SOUSA E CAJAZEIRAS.




Lacerda visitará áreas atingidas pelas chuvas no Vale do Rio do Peixe



Governador em exercício visitará as áreas atingidas pelas chuvas em Sousa e Cajazeiras.

O governador em exercício José Lacerda Neto viaja na manhã desta segunda-feira(31) às cidades de Sousa e Cajazeiras. Em conjunto com toda a coordenadoria da Força-tarefa estadual, ele sobrevoará as áreas atingidas por águas de barragens que transbordam na região.



O governador viaja em companhia do secretário estadual da Infra-estrutura, Francisco Evangelista, (coordenador da força-farefa do Governo Estadual), do presidente da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (AESA), José Ernesto Souto, do deputado estadual Lindolfo Pires e do secretário executivo da Infra-estrutura Guaray Martins, que coordena a Defesa Civil Estadual.


José Lacerda recebeu a incumbência do governador Cássio Cunha Lima de coordenar a força-tarefa das secretarias e órgãos estaduais diretamente envolvidos nas ações de socorro à vitimas, recuperação de estradas, manutenção de barragens, dentre outras atividades.





Força-tarefa se reúne neste domingo e traça metas de assistência

Coordenação da força-tarefa estadual esteve reunida, neste domingo (30), na secretaria de Infra-estrutura.

Os representantes das secretarias e órgãos membros da força-tarefa do Governo do Estado, estiveram reunidos, neste domingo (30), na Secretaria de Estado da Infra-estrutura, para traçar as primeiras providências a serem aplicadas na assistência aos municípios atingidos pelas fortes chuvas que caem incessantemente no Estado.

Estiveram presentes o secretário de Infra-estrutura Francisco Evangelista, o presidente da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (AESA), José Ernesto Souto, o secretário executivo da Infra-estrutura Guaray Martins, que coordena a Defesa Civil Estadual, além da chefia do Corpo de Bombeiros, entre outros diretores dos órgãos participantes.

Segundo o secretário Francisco Evangelista, dentre uma das primeiras ações promovidas, a coordenação da força-tarefa, que tem a frente o governador em exercício José Lacerda Neto, fará um sobrevôo de inspeção na região do Vale do Rio do Peixe, nesta segunda-feira (31), e pousará para verificar in loco a situação das populações ribeirinhas.

Ainda de acordo com o secretário, a coordenação da força-tarefa tem entrado em contato permanente com todos os prefeitos dos municípios atingidos pelas fortes chuvas, para fazer um levantamento das suas necessidades, e se certificarem das providências que deverão ser tomadas em cada região do Estado.


A coordenação da força-tarefa informou ainda que já solicitou, junto a Defesa Civil, a aquisição de 10 mil cestas básicas e cinco mil colchões e cobertores, para dar atenção especial aos eventuais desabrigados, nos municípios atingidos.

Foi formulado também convite especial ao Exército Brasileiro, através do comandante do 1º Grupamento de Engenharia e Construção da Capital, general Ernesto Pinto Fraxe, que se disponibilizou para, em parceria com o Estado, dar assistência a todos os municípios necessitados.


De acordo com o secretário da Infra-estrutura Francisco Evangelista, a coordenação da força-tarefa segue a determinação do governador Cássio Cunha Lima, que é de manter toda a equipe participante, diretamente envolvida, com viagens freqüentes aos municípios e localidades que apresentem problemas no sentido de procurar resolver as questões críticas.


A força-tarefa é composta pelas secretarias da Infra-estrutura, Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente, Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca, Casa Civil, Segurança e Defesa Social, Comunicação, Finanças, Planejamento e Gestão, Interiorização, Desenvolvimento Humano, Procuradoria Geral, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, AESA, Cagepa, DER, Suplan, além da Defesa Civil Estadual.

José Lacerda Neto deve chegar a Sousa às 9h, sobrevoa a região e pousa para verificar in loco a situação das populações ribeirinhas. O governador em exercício adiantou que já fez contato com o Exército (1º Grupamento de Engenharia) solicitando máquinas, ônibus para transportar pessoas deslocadas de suas casas se for preciso e barracas para abrigos provisórios. Depois de Sousa o governador também vai a Cajazeiras, em atendimento a pedido do prefeito Carlos Antonio para, pessoalmente, coordenar ações da força-tarefa criada na última sexta-feira(28) pelo governador Cássio Cunha Lima.
Fonte: Secom



domingo, 30 de março de 2008

O APAGÃO MUNDIAL CONTRA O AQUECIMENTO GLOBAL






VÍDEOS SOBRE O ESCURECIMENTO GLOBAL VS AQUECIMENTO GLOBAL

A Farsa do Aquecimento Global no Fantastico - TV Globo
http://www.youtube.com/watch?v=JkNgXUFBlMM



Escurecimento Global vs Aquecimento Global - Parte 1 de 5 .
http://www.youtube.com/watch?v=rnG8fycq-50



Escurecimento Global vs Aquecimento Global - Parte 2 de 5 .
http://www.youtube.com/watch?v=Nep0gMuROO0&feature=related



Escurecimento Global vs Aquecimento Global - Parte 3 de 5
http://www.youtube.com/watch?v=nRZKwb5Y-oA&feature=related



Escurecimento Global vs Aquecimento Global - Parte 4 de 5 .
http://www.youtube.com/watch?v=L3c25-Nw0-4&feature=related




Escurecimento Global vs Aquecimento Global - Parte 5 de 5 .
http://www.youtube.com/watch?v=Oyq3Uc5Gxpg&feature=related





O APAGÃO MUNDIAL CONTRA O AQUECIMENTO GLOBAL


Cerca de 30 milhões de pessoas de pelo menos 27 países e 370 cidades, de Sydney a São Francisco, participaram ontem(Sábado, 29.03.2008), do evento mundial "Earth Hour" (A Hora do Planeta), ao apagar por uma hora todas as luzes em uma campanha global contra colapsos de energia e o aquecimento global.



Sydney foi a primeira cidade a abrir a campanha à noite, com um apagão de 60 minutos que deixou sem luz os principais edifícios da capital australiana, incluindo os famosos espaços da cidade.



De lá, a iniciativa mundial, que busca a conscientização da comunidade global sobre os efeitos do aquecimento global, passou a outras cidades do mundo a medida que chegava às 20h.


Depois de Sydney foram Bancoc e Manila, antes dos afagues chegarem às cidades européias e norte-americanas.

Tel-Aviv participou do evento em 27 de março devido ao sabath religioso.


Como contribuição à iniciativa, o site de buscas Google deixou sua página totalmente negra, enquanto a BBC realizou uma reportagem especial sobre o tema detalhando as conseqüências do aquecimento global.




Ainda que Londres e Edimburgo não estivessem incluídas oficialmente na campanha, se juntaram parcialmente ao evento com distintas iniciativas locais, como o apagão do London, Eye e da Torre do Big Bem. O mesmo ocorreu nas latinas Buenos Aires, Bogotá e Santa Cruz de la Sierra.
Fonte: ANSA (http://www.ansa.it/ansalatinabr/)

sábado, 29 de março de 2008

O NORDESTE DEBAIXO DE CHUVAS...

















VÍDEOS SOBRE AS CHUVAS EM MARÇO/2008...NO NORDESTE


O NORDESTE DEBAIXO DE CHUVAS...

As estações de chuvas(leia-se Março/2008)... Estão provocando inúmeras tragédias sociais no Nordeste. Já que não é possível evitar o fenômeno natural... A solução está em tomar precauções para minimizar as conseqüências dele. Saiba como fazer sua parte e conheça os riscos que as enchentes trazem para a calamidade pública...

“O sertão vai virar mar, o mar vai virar sertão”, profetizava Antônio Conselheiro, ou Santo Antônio do Mar, como ficou conhecido por seus seguidores. O “santo” ficou famoso por ser líder de uma seita religiosa que foi massacrada pelo exército durante a Primeira República, no episódio histórico conhecido como Guerra de Canudos”...

Ironicamente, o local onde se encontrava o vilarejo da seita hoje “Jaz” sob toneladas de água do açude de Cocorobó, no sertão da Bahia.

Por causa da falta de chuva e da construção do açude, o Rio Vaza Barris, que alimentava a vila, secou. Mas agora, passados mais de 100 anos das profecias do beato, a estação de chuvas transformou o Vaza Barris novamente em rio e, por pouco, a previsão mais famosa do “santo” não se realiza...


A caatinga, vegetação que servia de refúgio aos cangaceiros, está embaixo d’água em lugares onde não chovia tanto há mais de 20 anos. Aquilo que era para ser bênção, tornou-se calamidade. O que ocorreu em Conde, município baiano situado a 157 km de Salvador, é exemplo disso: 80% das ruas ficaram alagadas em conseqüência da cheia do Rio Itapirucu-Açu, que margeia a cidade e, por isso, só está sendo possível se locomover de canoa”...
Fonte:
www.aprendebrasil.com.br (13.02.2004)


Como abordado acima...


As estações chuvosas de 2008(leia-se a partir da segunda quinzena de Março/2008)... Ou melhor, a partir do dia 19 de Março dia de São José(Santo que traz chuvas para o Nordeste)... Pois Janeiro/2008 e Fevereiro/2008...No geral...Foi estiado...


Em suma, o que estar acontecendo aqui no Nordeste e agora(Março/2008)...Especialmente na Paraíba, meu Estado...Pois, venho acompanhando de perto...É que dentro das ultimas décadas(90 e 2000)...Exceto Janeiro de 2004...


Março de 2008...Por se só...Já estar sendo comparado... A Janeiro de 2004...Não entrando nos labirintos das “Informações dos Bancos de Dados”, como “Serie Históricas... De Índices de Chuvas... Volumes Acumulados dos Reservatórios...Entre outras informações, como por exemplo, lãminas de sangrias dos sangramentos... Agora em Março de 2008...Hoje(Sábado, 29.03.2008)...
Segundo a AESA(Agência Executiva de Gestão das águas do Estado da Paraíba)...Dos 123 Reservatórios monitorados por essa Agência de água...


45 Reservatórios estão sangrando... Outros 10 Reservatórios estão acima de 80%...Inclusive o Açude Lagoa do Arroz, que nunca sangrou... Tendo capacidade máxima de 80.220.750 de metros cúbicos...Hoje(Sábado, 29.03.2008)...
Se encontra com 69.576.900 de metros cúbicos de água...ou seja, se encontrando com 86,7% de sua capacidade máxima...



Outros Manancial que merece destacar é o Reservatório Engenheiro Ávido(Administrado pelo DNOCS), por ser um manancial Federal...Tendo capacidade máxima de 255.000.000 de metros cúbicos de água...Hoje(sexta Feira, 28.03.2008)...

Se encontra com 196.235.650 de metros cúbicos de água...ou seja, se encontrando com 77% de sua capacidade máxima...

E por falar do Açude Engenheiro Ávido...Merece aqui se fazer uma ressalva...É que este mencionado Reservatório...Neste últimos dias de Março/2008...Tomou um aporte de água assustador...



DNOCS(Departamento Nacional de Obras Contra as Secas), vem forçado pelas circunstâncias que ora se apresenta... A fazer “Sangramento Artificial”...Pensando eles(os Dirigentes do DNOCS)...De se evitar uma presumida “Tragédia”... De um “Possível”... “Arrombamento”... Deste Reservatório Engenheiro Ávido...

Entretanto, imagino eu, Não adianta... “Cobrir um Santo... E Descobrir o outro”...Pois, na medida que liberar água do Açude Engenheiro Ávido...Esta água toda desce para o Açude de São Gonçalo...Que há dias já vem sangrando...Aumentando pelo visto, seu sangramento...Alagando seu “Perímetro Irrigado”... E conseqüentemente as Várzeas de Sousa... E o pior...Podendo suscitar o arrombamento do Açude de São Gonçalo...Provocando uma tragédia maior...
Veja só paradoxo sobre o Açude Engenheiro Ávido...Um Açude construído para se evitar “Enchentes”...Nas Várzeas de Sousa...Entrentato, hoje estar provocando pelo visto, enchentes neste mesma Várzeas de Sousa...E por não falar do Perímetro Irrigado de São Gonçalo...

Agora, entretanto, se não existem “Soluções”...Para tudo isto...Abordado acima...Todavia, uma vejo uma “Luz” no Final do Túnel...Dentro de um “Principio Sinergético”...



E por falar em sistema “Sinergético Hídrico”, seria interessante, se construírem as margens de muitos rios intermitentes do semi-árido, uma série de “Piscinões”, como forma de retenção, ou melhor, de armazenamento de água, quando estes esses referidos rios do semi-árido estiverem transbordando nas suas estações chuvosas. Sendo assim, ao meu vê, contribuiria com uma acumulação mais efetiva desses recursos hídricos, nessas bacias hidrográficas... Que serveria para os múltiplos usos dessa água, como irrigação, piscicultura, lazer, etc. E até mesmo, de vazantes, nos períodos de estiagens, que vai de Julho a Dezembro. Perenizando desta forma, o seu leito principal. Entretanto, deve-se salientar, para se realizar as construções desses supostos piscinões, deveria primeiro, fazer o estudo de impacto ambiental. E, sobretudo, vê a viabilidade sócio-economico-ambiental.


Entre outros exemplo, de uma boa estação chuvosa agora em Março de 2008...É mostrado na grande capacidade de recuperação do Reservatório de Sobradinho-BA...


Que regula todo “Sistema CHESF”... No inicio de Março/2008...Só estava com 25% de volume máximo, que é de 34 bilhões de metros cúbicos de água...Entretanto, em 27.03.2008(Quinta Feira)...Já se encontrava com 53,8% de seu volume útil...
Fonte: CHESF
(
http://www.chesf.gov.br/xml/baciahidrografica_baciariosaofrancisco.php)



Não esquecendo, outro exemplo, desta colossal estação chuvosa agora em Março/2008...Estar acontecendo no Estado do Ceará...Aonde seus dois maiores Açudes...O Açude do Castanhão com capacidade máxima de 6,7 bilhões de metros cúbicos de água... E o açude de Orós com capacidade máxima de 1,9 bilhões de metros cúbicos de água....Antes do dia 19 de Março de 2008(Dia de São José)...O Açude do castanhão...




E o açude de Orós...

Só se encontravam com 52% e 62% de suas capacidades máximas respectivamente...


Entretanto, hoje(Sábado,29.03.2008)...O Açude do Castanhão se encontra com 63,6%... E o açude de Orós com 77,1% ...
Fonte: COGERH (
www.cogerh.com.br)




Donde se conclui, que dentro desta década de 2000... Neste terceiro milênio Até a presente Data 29.03.2008...Não digo os anos de 2000, 2001, 2002 e 2003...Entretanto, a partir de 2004... As estações chuvosas do semi-árido(Os sertões) do Nordeste do Brasil...Teve uma recuperação substancial dos seus Recursos Hídricos...um exemplo típico disto é sobre o sobre o Açude Epitácio Pessoa, conhecido popularmente, como o Açude Boqueirão de Cabaceiras...


Desde de 2004 vem sucessivamente sangrando...Só não sangrou no ano de 2007... Veja gráfico abaixo:


Desde de 2004 vem sucessivamente sangrando...Só não sangrou no ano de 2007... Veja gráfico abaixo:

Fonte: AESA(AgênciaExecutiva de Gestão das Águas do estado da Paraíba



PEDRO SEVERINO DE SOUSA
João Pessoa (PB), 29.03.2008

LEIA NO
www.google.com.br

“ PEDRO SEVERINO DE SOUSA"

“AGUAPSS”

“ SITE PEDRO SEVERINO”












sexta-feira, 28 de março de 2008

ACAUÃ COMEÇA A SANGRAR




O terceiro maior reservatório do Estado está sangrando desde às 9 horas desta sexta-feira.

A Barragem Argemiro Figueiredo, mais conhecida como Acauã, alcançou sua capacidade máxima de armazenamento de água e desde às 9 horas desta sexta-feira (28) começou a sangrar.
A informações foi do presidente da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (AESA), José Ernesto Souto Bezerra.

ACAUÃ

Inaugurada em 2002, a Barragem de Acauã está localizada entre os municípios de Itatuba e Salgado de São Félix, na Bacia hidrográfica do Rio Paraíba. Acauã possui capacidade total de acumulação superior a 253 milhões de metros cúbicos, representando o terceiro maior reservatório do Estado.

FONTE: AESA ( http://www.aesa.pb.gov.br/index.php )

quinta-feira, 27 de março de 2008

AÇUDE DE COREMAS EXIBE ESPETÁCULO DA NATUREZA





VÍDEOS SOBRE COREMAS:
Coremas, um Oásis no Sertão
http://www.youtube.com/watch?v=jCxUax27zkQ

Coremas "Cidade de Todos"
http://br.youtube.com/watch?v=akUDcZykeao&feature=related


Félix Rodrigues no Carnaval de Coremas – PB
http://br.youtube.com/watch?v=roTKhgrmZGI&feature=related




COREMAS: O OÁSIS NO SERTÃO PARAIBANO


Os sertões do Nordeste do Brasil são regiões de climas semi-áridos já em pleno processo de desertificação. Devido a sua localização geográfica, encravado no Polígono das Secas, decorrentes do embarreiramento do Planalto da Borborema, que impede o avanço à umidade vinda para essa região. Como se vê, o problema é climático, e, obviamente, o homem, o poder público, tinha e tem como solucionar ou na pior das hipóteses amenizar esta situação.

Um descaso e digo mais, até mesmo um “crime de responsabilidade”. É, a respeito do município de Coremas – PB, este referido município é detentor de um dos maiores complexos hídricos da região Nordeste, cuja capacidade máxima chega a mais de 1.350.000,000 m³ (um bilhão e trezentos e cinqüenta milhões de metros cúbicos de água), além de dispor de uma hidrelétrica que, na década de 1970, abastecia quase toda região sertaneja como fonte geradora de energia elétrica. Atualmente a mesma hidrelétrica conta com uma subestação que está interligada ao sistema CHESF, com Paulo Afonso, no estado da Bahia.

Esse grandioso complexo, construído nas décadas de 1940 e 1950, tem como meta mais ambiciosa e importante a implantação de um pólo de desenvolvimento, denominado Meridiano 38, cujo projeto se encontra atualmente no Ministério da Integração Regional da Presidência da República do Brasil.

Caso seja implantado o projeto Meridiano 38 em nosso estado, vai trazer redenção de todo Sertão Paraibano, prevendo inclusive a criação de uma faculdade de agronomia, uma escola técnica agrícola, um centro administrativo de política agrícola, visando à irrigação de milhares de hectares de terras, tendo como epicentro deste pólo de desenvolvimento justamente a cidade de Coremas.

Havendo decisão política de implantar esse projeto, poder-se-ia afirmar que o “Sertão vai virar Mar”, propiciando o desenvolvimento regional do semi-árido estadual, tornando-o economicamente forte gerando emprego e renda para milhares de paraibanos.

O complexo hídrico Coremas Mãe d’água já foi responsável, durante décadas, pela produção de peixes para a alimentação, chegando até mesmo a ultrapassar a produção de todo o Litoral do estado, nas décadas de 70 e 80. Decorrente disso, os pescadores de Coremas e a sociedade como um todo estão solicitando aos poderes públicos federal, estadual e municipal a elaboração de uma política de piscicultura para o município, com o intuito de recuperar a produção perdida. O desejo principal do povo coremense seria que ocorresse a industrialização da produção do pescado, gerando emprego e renda para centenas de pessoas.

Além da necessidade da recuperação do setor pesqueiro, os habitantes locais alegam que poderá haver ainda investimentos no setor turístico, com melhorias na infra-estrutura do acervo histórico da cidade, pertencente ao Dnocs. Entre os pontos a serem recuperados, estariam a “Pracinha do Dnocs”, o cinema, o Balneário de Mãe D’Água, além de urbanizar o Balneário do Rio da Turbina, buscando junto à PBTur a sua inclusão no Guia do Turístico da Paraíba.

É inadmissível um município como Coremas – PB ser detentor de uma considerável infra-estrutura (água e energia) para um desenvolvimento sustentável , no entanto sua população é uma das mais pobres, em termo relativo, do Estado da Paraíba. Isto é um absurdo!

Diante disto, urge, pelo menos se acabar essa cultura, essa mentalidade dos seus agricultores, que só plantam depois que chove. Quando na maioria dos casos muitos têm água, às vezes até corrente, e energia dentro de suas propriedades. Aliás, isto é uma prática costumeira em todo o Nordeste do Brasil. Um exemplo disto é que as margens do Rio São Francisco existem verdadeiros bolsões de misérias.

EXTRAÍDO DO LIVRO:ÁGUA: A ESSÊNCIA DA VIDA

www.aguapss.rg3.net

PEDRO SEVERINO DE SOUSA

www.pedroseverino.xpg.com.br

LEIA NO www.google.com.br

“ PEDRO SEVERINO DE SOUSA"

“AGUAPSS”

“ SITE PEDRO SEVERINO

quarta-feira, 26 de março de 2008

SISTEMA ESTEVÃO MARINHO-MÃE D`ÁGUA VOLTA A SANGRAR...






Maior açude da Paraíba sangra desde às 5h da manhã de hoje



O maior reservatório d'água da Paraíba, o açude Coremas-Mãe D'Água, localizado na cidade de Coremas, está transbordando desde às 5h desta quarta-feira(26). A informação é do funcionário do Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (DNOCS), o senhor Cícero, repassada por telefone aos jornalistas Adelton Alves e Edmilson Pereira no programa Paraíba Notícia, da Rádio Tabajara, em rede estadual composta por 26 emissoras.
De acordo com o senhor Cícero, do DNOCS, a barragem Coremas-Mãe-D'Água está com 1 bilhão, 360 milhões e 120 mil metros cúbicos de água. Sua capacidade máxima de acúmulo d'água é de 1 bilhão e 358 milhões de metros cúbicos d'água. De ontem para hoje o açude aumentou em 52 centímetros o seu volume d'água.
O reservatório foi construído em 1957 pelo governo federal. A cidade de Coremas, no Vale do Piancó e distante 387,8 quilômetros de João Pessoa, está em festa com o sangramento do maior açude da Paraíba. Turistas de vários municípios, inclusive do Rio Grande do Norte, se dirigem ao açude para assistir o espetáculo promovido pela natureza.
O Corpo de Bombeiros mantém equipe na área para evitar alguns excessos por parte das pessoas. A água que transborda de Coremas-Mãe D'Água banha a região polarizada por Açu, no Rio Grande do Norte, maior produtor de melão do país.
Secom-PB



SEMANA DA ÁGUA: TODOS PELA ÁGUA, ÁGUA PARA TODOS



VÍDEOS SOBRE 22 DE MARÇO: DIA MUNDIAL DA ÁGUA:
PLANETA ÁGUA - GUILHERME ARANTES
Guilherme Arantes - Jornal Nacional
SEMANA DA ÁGUA: TODOS PELA ÁGUA, ÁGUA PARA TODOS

O Dia Mundial da Água é comemorado em 22 de março com o objetivo de chamar a atenção para esse bem essencial para a vida no Planeta e conscientizar a população na busca de soluções e participação em iniciativas que garantam quantidade e qualidade de água para todos.

Com o tema “Água é vida. Preserve a vida”, o Ministério do Meio Ambiente, por meio da Secretaria de Recursos Hídricos e da Agência Nacional de Águas, realizou este ano uma série de atividades durante a Semana da Água, entre 20 e 26 de março, em Brasília (DF).

O evento foi mais uma oportunidade para que os brasileiros pudessem conhecer os objetivos e a importância do uso racional dos de recursos hídricos. Além da necessidade de contribuir para consolidação dos princípios democráticos da Lei Federal 9.433/97, conhecida como Lei das Águas.

Água e Eventos Críticos é o tema da Organização das Nações Unidas sobre os recursos hídricos para 2004. A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) também convoca a população para uma grande reflexão com a Campanha da Fraternidade deste ano.

“Água. Fonte de vida” mostra que é a água é necessária a manutenção da vida e que cada um de nós tem que contribuir para evitar o desperdício e garantir o uso racional.Durante a Semana da Água, a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva falou da importância de cuidar da água como forma de pensar nesta e nas próximas gerações “Cuidar do Brasil é cuidar de cada cantinho destes 12% da água doce do planeta que se encontra no Brasil, e isto é uma grande responsabilidade nossa”.

O diretor-presidente da ANA, Jerson Kelman, afirmou que o abastecimento de água deve ser garantido a todos e que “temos que ter competência para preservar esse patrimônio e usá-lo de forma racional”.Fonte: ANA(Agência Nacional das Águas)
http://www.ana.gov.br/

PROGRAMAÇÃO DA SEMANA DA ÁGUA NA PARAÍBA
Fonte: AESA(Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba)
(
http://www.aesa.pb.gov.br/index.php )
(
http://www.paraiba.pb.gov.br/ )





terça-feira, 25 de março de 2008

A MEMÓRIA DA TERRA





VÍDEOS CORRELATOS:



*A MEMÓRIA DA TERRA

A Terra tem memória. Sua memória são seus recursos, incluindo tudo que lhe foi dado quando criada: as limpas águas dos rios e lagos, mares e oceanos, a rica fauna e a densa flora que habitam os grandes reinos animal e vegetal, e a imponente riqueza do mundo mineral escondida em camadas de pedra sob a espessa capa de terra e mato. Guarda consigo, a memória das civilizações e só as revela quando submetida às duras incursões de escavações arqueológicas.

Não obstante a sua dimensão e resistência a Terra está perdendo sua memória e as causas são as mesmas que podem provocar amnésia em seres humanos: enfermidades, traumas ou drogas. O ritmo acelerado assinala a ação em cadeia de múltiplas causas. Pode estar havendo perda de tecido cerebral, simultaneamente a doenças degenerativas, associados, entre outros, ao envenenamento, à poluição e ao intensivo desmatamento.

Quem sofre de intensa amnésia vive isolado em um único momento de sua existência. Sem memória, em alguns aspectos, não está em lugar nenhum, a não ser num eterno presente, conforme delineia o Dr. Oliver Sacks em seu livro Alucinações Musicais, quando relata o caso de um paciente cuja memória se apaga em poucos segundos. Para alguém assim, o futuro é tão alheio quanto lembrar o passado e sua vida se reduz a uma apertada ilha cercada por fossos abissais.

Os quase sete bilhões de habitantes do planeta, mais parecem uma nuvem enfurecida de predadores, diria um ambientalista mais zeloso. Agindo num bailado contínuo de fascinada destruição, atormentam a Terra e minam quaisquer possibilidades de uma vida melhor num futuro breve. A Terra, agonizante, parece cambalear no espaço, mostrando fortes sinais de profunda amnésia e de incapacidade para alguma narrativa interna. Sua memória, mais presente pela ausência, nos confere a sensação de que não está nem vai a lugar algum.

Rios de águas sombrias, sujas e contaminadas, mais parecem uma malha de veias e artérias acometidas por placas de ateroma, assolados pelos intensivos e criminosos despejos de esgotos domésticos e industriais, às vistas e às claras de muitos, e, o que é pior, recebe o consentimento de todos em demonstração de impiedade e disposição à prática coletiva da eutanásia.

Trechos oscilantes de mares e oceanos, vítimas do seu tamanho, têm se tornado grandes depósitos de resíduos sólidos e de restolhos tóxicos, abastecidos pelos vazamentos, derramamentos e arremesso desordenado de toda sorte de subprodutos. Entupidos e intoxicados perdem importante tecido cerebral representado pela vida aquática e outras riquezas submarinas. Pescas predatórias, avanços de construções, turismo atrapalhado e, sobretudo, visão embaçada sobre o meio ambiente, podem está transformando um bondoso amigo num arrogante inimigo. Segundo o Programa Ambiental das Nações Unidas, existem 46 mil fragmentos de plásticos em cada 2,5 quilômetros quadrados dos oceanos. Há seis anos uma baleia encontrada morta no norte da França levava no estômago 800 quilos de sacolas plásticas (Revista Veja no 2050), consumidas por engano como alimento.

As ralas florestas em tons cinza, rarefeitas pelo implacável desmatamento, numa infeliz disputa com as queimadas criminosas para ver quem mais destrói, avançam em velocidade nunca vista. Só em janeiro próximo passado a Amazônia perdeu de sua floresta uma área equivalente a 40% da cidade de São Paulo. Nesse apocalíptico cenário de final de mundo o passado pode estar aqui sem ser lembrado e o futuro sem ser previsto.

Em meio a tanta desordem ambiental - os problemas de drenagem urbana e de saneamento básico nas grandes cidades, de desertificação nas áreas rurais, além dos enormes problemas sociais de violência, desemprego e exclusão - a Terra tem sido lugar de dor, espanto e confusão, levando muitos a acreditarem não ser mais aqui um bom lugar para se viver. Num certo sentido, pela perda de memória, em pouco tempo a Terra não estará em lugar algum; poderá se perder no tempo e no espaço. "Estamos perto da possibilidade de abandonar a Terra", disse o físico e astronauta italiano Umberto Guidoni, durante conferência realizada na Academia Nacional dos Lincei, uma das instituições científicas mais antigas da Itália.

Poluir o meio ambiente é um pecado tão grave quanto a gula, luxúria, avareza, ira, soberba, vaidade e preguiça, pelo menos na nova lista do Vaticano dos chamados pecados capitais. Se não atendemos ao clamor agonizante da Terra, ao menos o da consciência do pecado, num ou noutro caso pelo medo óbvio de perder a Terra Prometida.



*Memórias da Terra
Artigo Laudízio da Silva Diniz,
Publicado no Link no
www.paraíba.com.br
no link Colunistas



Laudízio da Silva Diniz

Laudízio da Silva Diniz é engenheiro civil pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB), mestre em Engenharia Civil também pela UFPB e doutorando pela IPH (Instituto de Pesquisa Hídrica do Rio Grande do Sul) em Gestão de Recursos Hídricos. Laudízio é Diretor de Acompanhamento e Controle da AESA (Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba).








segunda-feira, 24 de março de 2008

2008-ANO INTERNACIONAL DO PLANETA TERRA




VÍDEOS CORRELACIONADOS:

Torne-se um Oceano
http://br.youtube.com/watch?v=uHco-o79-qQ


Oceanos: Vida Escondida. USP
http://br.youtube.com/watch?v=oyXbfCXXPaQ


Roberto Carlos: "As baleias"
http://br.youtube.com/watch?v=8CbVxswDBio


Como Uma Onda no Mar
http://br.youtube.com/watch?v=KiU6B4rEVhs



Ano Internacional do Planeta Terra
http://br.youtube.com/watch?v=nFA5zIIHvrs


Planeta Terra, não deixe acabar
http://br.youtube.com/watch?v=4HW1mC5yak4&feature=related



Realidade do Planeta Terra
http://br.youtube.com/watch?v=SJT-ge3wms4&feature=related




Destruição da Terra
http://br.youtube.com/watch?v=QIKWHqEuJ7E&feature=related







2008 - ANO INTERNACIONAL DO PLANETA TERRA





A Assembléia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) determinou que 2008 será o Ano Internacional do Planeta Terra. Com isso, a ONU pretende chamar a atenção da população mundial para a necessidade de preservação dos recursos naturais de nosso planeta e busca de um desenvolvimento sustentável. Numa época em que o aquecimento global torna-se uma grande ameaça para o clima, esta decisão da ONU é acertada. Espera-se que o tema não seja apenas discutido em assembléias de organizações e governos, mas também penetrem nas casas, escolas, fábricas, etc. Afinal, todos é um pouco responsáveis pelo perfeito funcionamento de nosso planeta.

Alguns dados importantes sobre o Planeta Terra:

Diâmetro equatorial:
12.756,27249 km


- Inclinação axial:
23,45°

- Composição em massa:
34,6% de Ferro; 29,5% de Oxigênio; 15,2% de Silício; 12,7% de Magnésio; 2,4% de Níquel; 1,9% de Enxofre; 0,05% de Titânio.


- Período de rotação:
23h 56m e 4,09966s (sideral).


- Área total da Terra:
aproximadamente 510 milhões de quilômetros quadrados - 361 milhões de km2 de
água - 149 milhões de km2 de terra.


- Atmosfera:
78 % de Nitrogênio, 21% de Oxigênio e 1% de Argônio. Encontram-se também vestígios de água e
dióxido de carbono (gás carbônico).


- Temperatura no interior do Planeta:
aproximadamente 5000° C.


- Temperatura na superfície:
mínima de –88° C, média de 9° C e máxima de 60° C.


- Satélite natural da Terra:
Lua
Fonte: suapesquisa






ANO INTERNACIONAL DO PLANETA TERRA:







Divulgar a importância da Ciência da Terra para o bem-estar de todos os seus habitantes e na busca de um mundo sustentável. Esse é o objetivo do Ano Internacional do Planeta Terra (AIPT), que foi lançado em Paris (França), no dia 12/02, num evento patrocinado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

Na ocasião, universitários de diversos países - entre eles três brasileiros - debateram as melhores formas de tornar públicos os esforços das pesquisas científicas em favor do Planeta.

"Muitas decisões ficaram restritas à política e à diplomacia, sem que chegassem à população. Queremos agora é divulgar o conhecimento da Ciência da Terra para que a responsabilidade sobre o nosso Planeta seja mais consistente em todos os níveis", afirma Carlos Oití, coordenador-geral das Unidades de Pesquisa do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) e conselheiro sênior da AIPT.

O trabalho da Unesco iniciou-se com a realização de um concurso internacional com a participação de estudantes de 191 países, no qual os três brasileiros foram selecionados: Igor Kestenberg Marino, 20 anos, estudante de geofísica da Universidade Federal Fluminense (UFF), Francisco Ferreira de Campos, 18 anos, estudante de geologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e Tamirez Nogueira Magalhães, 20 anos, aluna de comunicação social da UFF. O prêmio foi a viagem a Paris. Os critérios, segundo Oití, levaram em conta a criatividade e o conhecimento sobre o tema.

"Fiz um vídeo explicando a vida no oceano", resume o estudante Igor Marino. Segundo ele, a inspiração surgiu de sua consciência ecológica.
"Quero contribuir e ajudar na preservação do Planeta", acrescenta.
O desenho foi a maneira escolhida pelos outros participantes, Francisco e Tamirez. O primeiro representou o problema da água subterrânea, mostrando a realidade de dois países: um pobre e outro rico.

"A ilustração mostra a água como a nova fronteira de disputa entre os países. Quis alertar sobre esse problema", explica Francisco Campos.
Já Tamirez preferiu mostrar, em seu desenho, o problema provocado pela desordem urbana em uma megacidade. De acordo com ela, a solução desse obstáculo está no próprio homem.

"Quis traduzir o caos urbano( http://br.youtube.com/watch?v=_IwWHx4Woog ), mas sempre lembrando que há pontos positivos, e que o homem é responsável por melhorar o local onde mora", resume.

Estiveram com os brasileiros em Paris outros 347 estudantes de todas as partes do Globo.

Carlos Oití esclarece que os temas do concurso foram baseados em estudos realizados pela Organização das Nações Unidas (ONU), que considerou dez tópicos prioritários: Água Subterrânea; (Mega)cidades; Clima; da Crosta ao Núcleo da Terra; Desastres Naturais; Oceanos, Recursos (Naturais e Energia); Solos; Terra e Saúde; Terra e Vida.
Fonte: Redação TN Sustentável (www.tnsustentavel.com.br)

domingo, 23 de março de 2008

23 DE MARÇO: DIA MUNDIAL DA METEOROLOGIA






















VÍDEOS SOBRE METEOROLOGIA:










23 DE MARÇO: DIA MUNDIAL DA METEOROLOGIA






Todo o ano a Organização Mundial de Meteorologia (OMM), Instituição ligada às Nações Unidas (ONU), cuja sede fica em Genebra, na Suíça, escolhe desde 1961, um tema que servirá de referência às comemorações do Dia Mundial da Meteorologia (DMM).


O Dia Mundial da Meteorologia se estabeleceu para comemorar a entrada em vigor, no dia 23 de Março de 1950, da Convenção que criou a OMM.



A criação da OMM marcou o início de uma nova era e contribuiu para alcançar rápidos progressos na ciência, nas tecnologias conexas e na cooperação internacional.



Estes acontecimentos se traduzem rapidamente pelo estabelecimento de sistemas operativos mundiais para a proteção da vida e dos bens, para a atenuação dos desastres naturais, assim como para numerosas aplicações em uma série de atividades sócio-econômicas de apoio ao desenvolvimento sustentável, definido atualmente como ‘O desenvolvimento que satisfaz as necessidades do presente sem por em risco a capacidade das gerações futuras de satisfazer suas próprias necessidades’.



A mensagem do secretário-geral da OMM, Michel Jarraud, sobre o Dia Mundial da Meteorologia, em 2005, dá destaque à oportunidade que o tema escolhido propicia para que a comunidade cientifica, as autoridades governamentais, a mídia e o público em geral discutam a importância da Meteorologia para o desenvolvimento sustentável e a luta contra a pobreza.



Segundo o Secretario, estima-se que, no decênio 1992-2001, cerca de 90% dos desastres naturais foram de origem hidrometeorológica.



Nesse mesmo período, os desastres causaram 622 mil mortes, afetaram a vida de mais de 2 bilhões de pessoas, propagaram enfermidades e causaram perdas econômicas da ordem de US$ 450 bilhões, aproximadamente, representando 65% dos danos causados pelo conjunto dos desastres naturais.



O texto da OMM destaca ainda os problemas ambientais como parte dos novos desafios da meteorologia e hidrologia, citando o aumento da concentração de gases de efeito estufa na atmosfera, a mudança climática,a diminuição da camada de ozônio estratosférico, a diminuição progressiva dos recursos de água doce e a crescente contaminação da atmosfera e da água.Jarraut lembra ainda que para reforçar a capacidade dos Serviços de Meteorologia e Hidrologia Nacionais (SMHN) e contribuir eficazmente para o desenvolvimento sustentável, é indispensável melhorar os serviços atuais de vigilância do tempo, do clima e da água, assim como, suas aplicações e desenvolvimento de novos serviços.



A esta questão, ele informa que, a OMM já criou três novos programas intersetoriais, são eles: o Programa de prevenção de desastres naturais e atenuação de seus efeitos; o Programa Espacial; e o Programa em favor dos países menos desenvolvidos.
A integra da mensagem, do professor Michel Jarraud, alusiva ao Dia Mundial da Meteorologia, assim como outras informações sobre as comemorações do DMM no Brasil, podem ser obtidas no site da Unemet Brasil (http://www.unemet.al.org.br) ou pelo e-mail: info@unemet.al.org.br
Fonte: Jornal da Ciência



23 DE MARÇO... É TAMBÉM...
O DIA MUNDIAL DOS METEROLOGISTAS:


O meteorologista é o profissional que estuda a atmosfera e os seus fenômenos. Como ciência, a Meteorologia abrange diversos estudos nas áreas daagricultura, astrometeorologia, aviação, dinâmica, hidrometeorologia operacional, entre outras.



A data de 23 de março foi escolhida como o Dia Mundial do Meteorologista por ser a data de fundação da Organização Mundial de Meteorologia (WMO) da ONU, em 23 de março de 1950. A Organização, que tem sede em Genebra, na Suíça, trabalha como facilitadora mundial, estabelecendo por exemplo as bases das contribuições da Meteorologia para a conservação dos recursos hídricos do planeta, para a identificação das causas e para o combate à desertificação, nas causas das mudanças climáticas, no manejo das reservas hídricas das megacidades e regiões agrícolas, alguns dos principais problemas que estão afetando a vida do planeta.



Mas o termo surgiu quando o filósofo grego Aristóteles, em torno de 340 a.C., à sua maneira filosófica e especulativa, escreveu um livro sobre filosofia natural denominado Meteorológica, falando sobre o tempo, o clima, sobre astronomia, geografia e química. Falava de nuvens, chuva, neve, vento, granizo, trovões e furacões. Naqueles dias, tudo o que caia do céu e qualquer coisa vista no ar era chamada de meteoro, daí o nome meteorologia.



Alguns “Pensamentos”... Que retrata este dia 23 de março...
O Dia Mundial da Meteorologia e dos Meteorologistas:



“Já o confessei algures: meteorologista frustrado. Desde cedo me atraíram os fenômenos da atmosfera. A sucessão das estações. O que as causava. E o que explicava as chuvas abundantes do inverno, o estio doentio, às tempestades que tinham tanto de assustador como de encantatório, a magia das neves que só caem tão distantes da cidade natal – e, pela sua raridade, elevadas a um altar de deslumbramento que só as coisas escassas possuem.”


“Desde tenra idade prestei muita atenção aos boletins meteorológicos. À sinalética a decifrar a linguagem hermética dos geofísicos desajeitados à frente das câmaras de televisão. Às vezes, as figuras dos geofísicos desapareciam da televisão. A falta de telegenia o ditava. O boletim meteorológico tornava-se uma fria expressão de frases feitas que passavam pela voz dos locutores de serviço, sem a mesma expressividade com que eram debitadas pelo saber dos geofísicos. Esses anónimos boletins do tempo que haveria de fazer perdiam credibilidade. Sabia que as previsões eram feitas pelos profissionais, por aqueles especialistas que eu invejava no seu saber que não se confundia com a esotérica sabedoria popular que se desmultiplica em adágios de prescientes antecipações do tempo que fará. Sem as caras dos geofísicos, parecia que as previsões soavam a patranha no falsete das vozes tão profissionais.”


“Agora os meteorologistas regressaram à televisão (à RTP). Passaram por um curso intensivo de postura diante das câmaras de televisão. Já não são as desajeitadas personagens que depois davam azo a anedotas sobre a figura que faziam. A crendice popular teimava em desmerecer a ciência da previsão meteorológica, ainda e sempre acreditando no “cheiro” que o povo tinha para o tempo. Com a experiência do passado, tentavam adivinhar o tempo que iria fazer na estação seguinte. Os meteorologistas eram apenas criaturas estranhas, entesourando uma qualquer ciência que se confundia com um esoterismo estranho ao povo. E como qualquer ciência, falível. Mais falível ainda, porque os elementos da natureza e as forças da atmosfera provocam surpresas constantes que desmentem previsões.”


“A ciência evolui. Toma como instrumento sofisticados modelos matemáticos que medem variáveis infindáveis: os ventos, sua direcção e velocidade, as temperaturas em diferentes camadas da atmosfera, as superfícies frontais que anunciam uma revoada de chuva. Já não erram tanto como outrora. O povo parece ir abdicando do seu suposto empirismo meteorológico e presta mais atenção às previsões dos geofísicos. Sinal de amadurecimento. O que muda é o tempo. Isto a propósito da sinalética que os experts do tempo usavam nos boletins televisivos, a busca incessante de símbolos que tornassem acessível a linguagem técnica e hermética da ciência. Havia um símbolo que aparecia constantemente durante o inverno: “AAN”, denotando a expressão acentuado arrefecimento nocturno.”

“O frio do inverno, quando a noite se deitava no céu, enraizava-se nos campos de tal arte que, ao acordar, um manto branco pintava os campos, substituindo a verdejante paisagem por uma alvura gélida. Dantes, quando não entravam as superfícies frontais desde o Atlântico despejando um fartote de chuva, era o frio árctico que comandava o inverno. O símbolo AAN omnipresente. Em toda a geografia, mais pronunciado no interior que no litoral. Nas terras do interior, um intenso AAN. Temperaturas que desciam bem além da fasquia da congelação, um frio penetrante, imagens de estalactites de gelo num mágico equilíbrio da água que se congelou com o AAN. Mas também havia AAN bem junto ao mar. Os vidros dos carros cobriam-se de uma fina camada de geada. Também sentíamos temperaturas que se aproximavam do ponto de congelação. Às vezes, poucas vezes, um frio tão intenso mostrando o termómetro para lá dos zero graus.”

“Agora é diferente. Será o alarmismo do aquecimento global com o degelo das camadas polares, o activismo ambientalista de Al Gore, ou apenas o tempo que muda por outros motivos ainda não sondados pela comunidade científica. O AAN emigrou das terras litorais. E mesmo lá para o interior o AAN visita as cercanias do ponto de congelação, já não desce a níveis quase nórdicos. Faz menos frio. Parece que o inverno se tropicaliza – ou, a ser menos exagerado, ameniza. Com uma desvantagem maior: a nitidez do céu e das formas que só o frio intenso desnuda começa a pertencer aos registos da memória. Essa diáfana condição perde-se com a tropicalização da invernia. Já não aquele frio que tanto fazia tiritar o corpo como actuava como bálsamo, na redefinição das formas, na nitidez com que tudo aparecia diante dos olhos.”
Fonte: Blog O Felino(Ideias sem freio. Palavras selvagens )... Por Paulo Vila Maior



As idéias de Aristóteles se mantiveram aceitas por quase dois mil anos. De fato, o nascimento da meteorologia como uma ciência natural genuína não aconteceu até a invenção dos instrumentos meteorológicos (os termômetros, no fim do século XIV, o barômetro, para medir pressão atmosférica, em 1643, e o higrômetro, para medidas de umidade, no final do século XVIII).



Nesses momentos, a gente nem lembra que existe um monte de técnicos altamente especializados, observadores e cientistas que, apoiados pela moderna tecnologia, trabalham dia e noite para pesquisar e prever as condições do tempo que vamos enfrentar. E que este serviço muitas vezes tem salvado vidas, quando prevê, por exemplo, as nevascas e os tornados...
Fonte: APOLLO11.COM




É oportuno, neste ensejo do Dia 23 de Março:
Dia Mundial da Meteorologia e do Dia Mundial dos Meteorologistas...
Homenagear o Meteorologista Linconl Muniz Alves...



Nome: Lincoln Muniz AlvesInstituição: Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos CPTEC/INPE Título: Meteorologista (Grupo de Prev. Climática)Resumo -Área experiência: Climatologia, Modelagem
Climática e Mudanças Climáticas


Por estar aniversariando nesta Data: 23 de Março”...




Depois do filósofo grego Aristóteles, em torno de 340 a.C...
Aonde a Ciência Meteorológica...teve seus primórdios estudos...Muitos caminhos foram percorridos... Aonde muitos cientistas desta Ciência Meteorologica... ”Passaram...” Sem encontrar... o “Rumo” desta Ciência...


Entretanto, acredito... Que Lincoln Muniz Alves...Entre outros meteorologistas de nossa contemporaneidade...Darão o “Norteador...” A esta Ciência Meteorológica...


Pedro Severino de Sousa
João Pessoa(PB), 23 de Março de 2008









sábado, 22 de março de 2008

22 DE MARÇO: DIA MUNDIAL DA ÁGUA



VÍDEOS SOBRE 22 DE MARÇO: DIA MUNDIAL DA ÁGUA:

Dia 22 de março é o Dia Mundial da Água
http://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM806104-7823-DIA+DE+MARCO+E+O+DIA+MUNDIAL+DA+AGUA,00.html


PLANETA ÁGUA - GUILHERME ARANTES
http://br.youtube.com/watch?v=eZVXnE1_NlY

Guilherme Arantes - Jornal Nacional
http://br.youtube.com/watch?v=ImSeHtANUdU



22 DE MARÇO: DIA MUNDIAL DA ÁGUA




O Dia Mundial da Água foi criado pela ONU (Organização das Nações Unidas) no dia 22 de março de 1992. Deste então, todo dia 22 de março de cada ano é dedicado a discussão sobre os diversos temas relacionadas a este importantíssimo recurso natural.





A água doce representa apenas 2,5% do total da água existente no planeta, mas só 0,008% é potável (própria para o consumo). E, deste pouco que nos resta, a maioria das suas fontes (rios, lagos, represas e, veja só, até os aqüíferos subterrâneos) está sendo contaminada, poluída e degradada pela ação predatória do homem. Essencial para a vida de todas as espécies, a água doce já se esgota em muitas partes do planeta. Falta água para cerca de 1,7 bilhão de pessoas em todo o mundo. O Brasil, com uma das maiores reservas do planeta, é um dos países que mais desperdiçam esse recurso. O uso doméstico consome cerca de 10% do total, e economizar água em casa faz muita diferença já que uma pessoa chega a consumir mais de 300 litros por dia na realização das suas atividades cotidianas. Por exemplo: a cada copo de água que você toma, outros dois copos são gastos para lavá-lo. Por isso, combata o desperdício em qualquer circunstância.





• Troque válvulas de descarga por caixas de seis litros. Cada descarga com a válvula gasta de 10 a 30 litros de água.

• Prefira duchas rápidas aos banhos de banheira e feche o chuveiro enquanto se ensaboa.



• Feche a torneira ao escovar os dentes, lavar as mãos e fazer a barba. Em cinco minutos,uma torneira gasta pelo menos 12 litros de água. Economizando, você gasta de 1 a 2 litros.



• Conserte as torneiras que estão pingando. Cada uma pode perder mais de 40 litros de água por dia.
• Não lave pisos e calçadas com esguicho. Use vassoura e balde, reutilizando a água da limpeza das roupas.



• Use a máquina de lavar sempre com a carga máxima e ligue-a, no máximo, três vezes por semana.







No dia 22 de março de 1992, a ONU também divulgou um importante documento: a “Declaração Universal dos Direitos da Água” (veja no ‘Continue Lendo’). Este texto apresenta uma série de medidas, sugestões e informações que servem para despertar a consciência ecológica da população e dos governantes para a questão da água.






Declaração Universal dos Direitos da Água




Art. 1º - A água faz parte do patrimônio do planeta. Cada continente, cada povo, cada nação, cada região, cada cidade, cada cidadão é plenamente responsável aos olhos de todos.


Art. 2º - A água é a seiva do nosso planeta.Ela é a condição essencial de vida de todo ser vegetal, animal ou humano. Sem ela não poderíamos conceber como são a atmosfera, o clima, a vegetação, a cultura ou a agricultura. O direito à água é um dos direitos fundamentais do ser humano: o direito à vida, tal qual é estipulado do Art. 3 º da Declaração dos Direitos do Homem.


Art. 3º - Os recursos naturais de transformação da água em água potável são lentos, frágeis e muito limitados. Assim sendo, a água deve ser manipulada com racionalidade, precaução e parcimônia.
Art. 4º - O equilíbrio e o futuro do nosso planeta dependem da preservação da água e de seus ciclos. Estes devem permanecer intactos e funcionando normalmente para garantir a continuidade da vida sobre a Terra. Este equilíbrio depende, em particular, da preservação dos mares e oceanos, por onde os ciclos começam.



Art. 5º - A água não é somente uma herança dos nossos predecessores; ela é, sobretudo, um empréstimo aos nossos sucessores. Sua proteção constitui uma necessidade vital, assim como uma obrigação moral do homem para com as gerações presentes e futuras. Art. 6º - A água não é uma doação gratuita da natureza; ela tem um valor econômico: precisa-se saber que ela é, algumas vezes, rara e dispendiosa e que pode muito bem escassear em qualquer região do mundo.



Art. 7º - A água não deve ser desperdiçada, nem poluída, nem envenenada. De maneira geral, sua utilização deve ser feita com consciência e discernimento para que não se chegue a uma situação de esgotamento ou de deterioração da qualidade das reservas atualmente disponíveis.


Art. 8º - A utilização da água implica no respeito à lei. Sua proteção constitui uma obrigação jurídica para todo homem ou grupo social que a utiliza. Esta questão não deve ser ignorada nem pelo homem nem pelo Estado.




Art. 9º - A gestão da água impõe um equilíbrio entre os imperativos de sua proteção e as necessidades de ordem econômica, sanitária e social.



Art. 10º - O planejamento da gestão da água deve levar em conta a solidariedade e o consenso em razão de sua distribuição desigual sobre a Terra.
Fonte: GREENPEACE

segunda-feira, 17 de março de 2008

A SEMANA SANTA DE 2008












VÍDEOS SOBRE SEMANA SANTA E DIA MUNDIAL DA ÁGUA:




Nova Jerusalém - PE - TEatro Paixão de Cristo 2007 - 40 anos
http://br.youtube.com/watch?v=9H63f-K4B6g&feature=related










SEMANA SANTA DE 2008





16 DE MARÇO- DOMINGO DE RAMOS



O Domingo de Ramos abre solenemente a Semana Santa, com a lembrança das Palmas e da paixão, da entrada de Jesus em Jerusalém e a liturgia da palavra que evoca a Paixão do Senhor no Evangelho de São Lucas.


Neste dia, se entrecruzam as duas tradições litúrgicas que deram origem a esta celebração: a alegre, grandiosa , festiva litrugia da Igreja mãe da cidade santa, que se converte em mímesis, imitação dos que Jesus fez em Jerusalém, e a austera memória - anamnese - da paixão que marcava a liturgia de Roma. Liturgia de Jerusalém e de Roma, juntas em nossa celebração. Com uma evocação que não pode deixar de ser atualizada.

Vamos com o pensamento a Jesuralém, subimos ao Monte das Oliveiras para recalar na capela de Betfagé, que nos lembra o gesto de Jesus, gesto profético, que entra como Rei pacífico, Messías aclamado primeiro e depois condenado, para cumprir em tudo as profecias.

Por um momento as pessoas reviveram a esperança de ter já consigo, de forma aberta e sem subterfúgios aquele que vinha em nome do Senhor. Ao menos assim o entenderam os mais simples, os discípulos e as pessoas que acompanharam ao Senhor Jesus, como um Rei.

São Lucas não falava de oliveiras nem de palmas, mas de pessoas que iam acarpetando o caminho com suas roupas, como se recebe a um Rei, gente que gritava: "Bendito o que vem como Rei em nome do Senhor. Paz no céu e glória nas alturas".




Palavras com uma estranha evocação das mesmas que anunciaram o nascimento do Senhor em Belém aos mais humildes. Jerusalém, desde o século IV, no esplendor de sua vida litúrgica celebrada neste momento com uma numerosa procissão. E isto agradou tanto aos peregrinos que o oriente deixou marcada nesta procissão de ramos como umas das mais belas celebrações da Semana Santa.





Com a litiurgia de Roma, ao contrário, entramos na Paixão e antecipamos a proclamação do mistério, com um grande contraste entre o caminho triunfante do Cristo do Domingo de Ramos e o "via crucis" dos dias santos.





Entretanto, são as últimas palavras de Jesus no madeiro a nova semente que deve empurrar o remo evangelizador da Igreja no mundo.





"Pai, em tuas mão eu entrego o meu espírito". Este é o evangelho, esta a nova notícia, o conteúdo da nova evangelização. Desde um paradoxo este mundo que parece tão autônomo, necessita que lhe seja anunciado o mistério da debilidade de nosso Deus en que se demonstra o cume de seu amor. Como o anunciaram os primeiros cristãos com estas narrações longas e detalhistas da paixão de Jesus. Era o anúncio do amor de um Deus que desce conosco até o abismo do que não tem sentido, do pecado e da morte, do absurdo grito de Jesus em seu abandono e em sua confiança extrema. Era um anúncio ao mundo pagão tanto mais realista quanto mais com ele se poderia medir a força de sua Ressurreição.




A liturgia das palmas antecipa neste domingo, chamado de páscoa florida, o triunfo da ressurreição, enquanto que a leitura da Paixão nos convida a entrar conscientemente na Semana Santa da Paixão gloriosa e amorosa de Cristo o Senhor.

FONTE: http://www.acidigital.com/semanasanta/ramos.htm





19 DE MARÇO- DIA DE SÃO JOSÉ




O culto a São José começou provavelmente no Egito, passando mais tarde para o Ocidente, onde hoje alcança grande popularidade. Em 1870, o papa Pio IX o proclamou "O Patrono da Igreja Universal" e, a partir de então, passou a ser cultuado no dia 19 de março.
Em 1955 Pio XII fixou o dia 1º de maio para "São José Operário, o trabalhador".





Apesar de ter grande importância dentro da Igreja Católica, o nome de São José não é muito citado dentro das fontes bibliográficas da Igreja, sendo apenas mencionado nos Evangelhos de S. Lucas e S. Mateus.




Descendente de Davi, São José era carpinteiro na Galiléia e comprometido com Maria. Segundo a tradição popular, a mão de Maria era aspirada por muitos pretendentes, porém, foi a José que ela foi concedida.





Quando Maria recebeu a anunciação do anjo Gabriel de que daria à luz ao Menino Jesus, José ficou bastante confuso porque apesar de não ter tomado parte na gravidez, confiava na fidelidade dela. Resolveu, então, terminar o noivado e deixá-la secretamente, sem comentar nada com ninguém. Porém, em um sonho, um anjo lhe apareceu e contou que o Menino era Filho de Deus e que ele deveria manter o casamento.





José esteve ao lado de Maria em todos os momentos, principalmente na hora do parto, que aconteceu em um estábulo, em Belém.





Quando Jesus tinha dois anos, José foi novamente avisado por um anjo que deveria fugir de Belém para o Egito, porque todas as crianças do sexo masculino estavam sendo exterminadas, por ordem de Herodes.




José, Maria e Jesus fugiram para o Egito e permaneceram lá até que um anjo avisasse da morte de Herodes.



Temendo um sucessor do tirano, José levou a familia para Nazaré, uma cidade da Galiléia.
Outro momento da vida de Cristo em que José aparece na condição de Seu guardião foi na celebração da Páscoa Judaica, em Jerusalém, quando Jesus tina 12 anos.
Em companhia de muitos de seus vizinhos, José e Maria voltavam para a Galiléia com a certeza de que Jesus estava no meio do grupo.



Ao chegar a noite e não terem notícias de seu filho, regressaram para Jerusalém em uma busca que durou 3 dias.



Para a surpresa do casal, Jesus foi encontrado no templo em meio aos doutores da lei mais eruditos, explicando coisas que o deixavam admirados.
Apesar da grande importância de José na vida de Jesus Cristo não há referências da data de sua morte.





Acredita-se que José tenha morrido antes da crucificação de Cristo, quando este tinha 30 anos.

Fonte digital:
http://www.dci.org.br/santododia/





GRIFO MEU:
Além do mais...Segundo crença popular nordestina...São José, é o santo que traz chuva para
Para o semi-árido do nordeste brasileiro...










DIA: 20.03.2008 A Quinta-feira Santa




A liturgia da Quinta-feira Santa é um convite a aprofundar concretamente no misterio da Paixão de Cristo, já que quem deseja seguí-lo deve sentar-se à sua mesa e, com o máximo recolhimento, ser espectador de tudo o que aconteceu na noite em que iam entregá-lo.




E por outro lado, o mesmo Senhor Jesus nos da um testemunho idôneo da vocação ao serviço do mundo e da Igrea que temos todos os fiéis quando decide lavar os pés dos seus discípulos.
Neste sentido, o Evangelho de São João apresenta a Jesus 'sabendo que o Pai pôs tudo em suas mãos, que vinha de Deus e a Deus retornava', mas que, ante cada homem, sente tal amor que, igual como fez com os discípulos, se ajoelha e lava os seus pés, como gesto inquietante de uma acolhida inalcanzável.





São Paulo completa a representação recordando a todas as comunidades cristãs o que ele mesmo recebeu: que aquela memorável noite a entrega de Cristo chegou a fazer-se sacramento permanente em um pão e em um vinho que convertem em alimento seu Corpo e seu Sangue para todos os que queiram recordá-lo e esperar sua vinda no final dos tempos, ficando assim instituída a Eucaristía.





A Santa Missa é então a celebração da Ceia do Senhor na qual Jesus, um dia como hoje, na véspera da su paixão, "enquanto ceiava com seus discípulos tomou pão..." (Mt 26, 26).
Ele quis que, como em sua última Ceia, seus discípulos nos reuníssemos e nos recordássemos d'Ele abençoando o pão e o vinho: "Fazei isto em memória de mim" (Lc 22,19).





Antes de ser entregue, Cristo se entrega como alimento. Entretanto, nesta Ceia, o Senhor Jesus celebra sua morte: o que fez, o fez como anúncio profético e oferecimento antecipado e real da sua morte antes da sua Paixão. Por isso "quando comemos deste pão y bebemos deste cálice, proclamamos a morte do Senhor até que ele volte" (1Cor 11, 26).





Assim podemos afirmar que a Eucaristia é o memorial não tanto da Última Ceia, e sim da Morte de Cristo que é Senhor, e "Senhor da Morte", isto é, o Resuscitado cujo regresso esperamos de acordo com a promessa que Ele mesmo fez ao despedir-se: "Um pouco de tempo e já não me vereis, mais um pouco de tempo ainda e me vereis" (Jo 16, 16).





Como diz o prefácio deste dia: "Cristo verdadeiro e único sacerdote, se ofereceu como vítima de salvação e nos mandou perpetuar esta oferenda em sua comemoração". Porém esta Eucaristia deve ser celebrada com características próprias: como Missa "na Cia do Senhor".
Nesta Missa, de maneira distinta a todas as demais Eucaristias, não celebramos "diretamente" nem a morte nem a ressurreição de Cristo. Não nos adiantamos à Sexta-feira Santa nem à noite de Páscoa.

Hoje celebramos a alegría de saber que esta morte do Senhor, que não terminou no fracasso mas no êxito, teve um por quê e um para quê: foi uma "entrega", um "dar-se", foi "por algo"ou melhor dizendo, "por alguém" e nada menos que por "nós e por nossa salvação" (Credo). "Ninguém a tira de mim,(Jesus se refere à sua vida) mas eu a dou livremente. Tenho poder de entregá-la e poder de retomá-la." (Jo 10, 18), e hoje nos diz que foi para "remissão dos pecados" (Mt 26, 28c).





Por isso esta Eucaristia deve ser celebrada o mais solenemente possível, porém, nos cantos, na mensagem, nos símbolos, não deve ser nem tão festiva nem tão jubilosamente explosiva como a Noite de Páscoa, noite em que celebramos o desfecho glorioso desta entrega, sem a qual tivesse sido inútil; tivesse sido apenas a entrega de alguém mais que morre pelos pobres e não os liberta. Porém não está repleta da solene e contrita tristeza da Sexta-feira Santa, porque o que nos interessa "sublinhar" neste momento, é que "o Pai entregou o Seu Filho para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna"(Jo 3, 16) e que o Filho entregou-se voluntariamente a nós apesar de que fosse através da morte em uma cruz ignominiosa.




Hoje há alegria e a Igreja rompe a austeridade quaresmal cantando o "glória": é a alegria de quem se sabe amado por Deus; porém ao mesmo tempo é sóbria e dolorida, porque conhecemos o preço que Cristo pagou por nós.



Poderíamos dizer que a alegria é por nós e a dor por Ele. Entretanto predomina o gozo porque no amor nunca podemos falar estritamente de tristeza, porque aquele que dá e se entrega con amor e por amor, o faz com alegria e para dar alegria.


Podemos dizer que hoje celebramos com a liturgia (1a. Leitura) a Páscoa. Porém a da Noite do Êxodo (Ex 12) e não a da chegada à Terra Prometida (Js 5, 10-ss).
Hoje inicia a festa da "crise pascoal", isto é, da luta entre a morte e a vida, já que a vida nunca foi absorvida pela morte mas sim combatida por ela. A noite do sábado de Glória é o canto à vitória porém tingida de sangue, e hoje é o hino à luta, mas de quem vence, porque sua arma é o amor.

FONTE: http://www.acidigital.com/semanasanta/quinta.htm



DIA: 21.03.2008 SEXTA FEIRA SANTA DA PAIXÃO DE CRISTO


A tarde de Sexta-feira Santa apresenta o drama imenso da morte de Cristo no Calvário. A cruz erguida sobre o mundo segue de pé como sinal de salvação e de esperança. Com a Paixão de Jesus segundo o Evangelho de João comtemplamos o mistério do Crucificado, com o coração do discípulo Amado, da Mãe, do soldado que lhe traspassou o lado.





São João, teólogo e cronista da paixão nos leva a comtemplar o mistério da cruz de Cristo como uma solene liturgia. Tudo é digno, solene, simbólico em sua narração: cada palavra, cada gesto. A densidade de seu Evangelho agora se faz mais eloqüente. E os títulos de Jesus compõem uma formosa Cristologia. Jesus é Rei. O diz o título da cruz, e o patíbulo é o trono onde ele reina. É a uma só vez, sacerdote e templo, com a túnica sem costura com que os soldados tiram a sorte. É novo Adão junto à Mãe, nova Eva, Filho de Maria e Esposo da Igreja. É o sedento de Deus, o executor do testamento da Escritura. O Doador do Espírito. É o Cordeiro imaculado e imolado, o que não lhe romperam os ossos. É o Exaltado na cruz que tudo o atrai a si, quando os homens voltam a ele o olhar.





A Mãe estava ali, junto à Cruz. Não chegou de repente no Gólgota, desde que o discípulo amado a recordou em Caná, sem ter seguido passo a passo, com seu coração de Mãe no caminho de Jesus. E agora está ali como mãe e discípula que seguiu em tudo a sorte de seu Filho, sinal de contradição como Ele, totalmente ao seu lado. Mas solene e majestosa como uma Mãe, a mãe de todos, a nova Eva, a mãe dos filhos dispersos que ela reúne junto à cruz de seu Filho.





Maternidade do coração, que infla com a espada de dor que a fecunda. A palavra de seu Filho que prolonga sua maternidade até os confins infinitos de todos os homens. Mãe dos discípulos, dos irmãos de seu Filho. A maternidade de Maria tem o mesmo alcance da redenção de Jesus. Maria comtempla e vive o mistério com a majestade de uma Esposa, ainda que com a imensa dor de uma Mãe. São João a glorifica com a lembrança dessa maternidade. Último testamento de Jesus. Última dádiva. Segurança de uma presença materna em nossa vida, na de todos. Porque Maria é fiel à palavra: Eis aí o teu filho.O soldado que traspassou o lado de Cristo no lado do coração, não se deu conta que cumpria uma profecia realizava um últmo, estupendo gesto litúrgico. Do coração de Cristo brota sangue e água. O sangue da redenção, a água da salvação. O sangue é sinal daquele maior amor, a vida entregue por nós, a água é sinal do Espírito, a própria vida de Jesus que agora, como em uma nova criação derrama sobre nós.





A CelebraçãoHoje não se celebra a missa em todo o mundo. O altar é iluminado sem mantel, sem cruz, sem velas nem adornos. Recordamos a morte de Jesus. Os ministros se prostram no chão frente ao altar no começo da cerimômia. São a imagem da humanidade rebaixada e oprimida, e ao mesmo tempo penitente que implora perdão por seus pecados.Vão vestidos de vermelho, a cor dos mártires: de Jesus, o primeiro testeunho do amor do Pai e de todos aqueles que, como ele, deram e continuam dando sua vida para proclamar a libertação que Deus nos oferece.
Ação litúrgica na Morte do Senhor



1. A ENTRADA


A impressionante celebração litúrgica da Sexta-feira começa com um rito de entrada diferente de outros dias: os ministros entram em silëncio, sem canto, vestidos de cor vermelha, a cor do sangue, do martírio, se prostram no chão, enquanto a comunidade se ajoelha, e depois de um espaço de silêncio, reza a oração do dia.2. Celebração da Palavra.




Primeira Leitura

Espetacular realismo nesta profecia feita 800 anos antes de Cristo, chamada por muitos o 5º Evangelho. Que nos introduz a alma sofredora de Cristo, durante toda sua vida e agora na hora real de sua morte. Disponhamo-nos a vivê-la com Ele.





Leitura do Profeta Isaías 52, 13 ; 53Eis que meu Servo há de prosperar, ele se elevará, será exaltado, será posto nas alturas. Exatamente como multidões ficaram pasmadas à vista dele - tão desfigurado estava seu aspecto e a sua forma não parecia a de um homem - assim agora nações numerosas ficarão estupefactas a seu respeito,reis permanecerão silenciosos, ao verem coisas que não lhes haviam sido contadas e ao tomarem consciência de coisas que não tinham ouvido.Quem creu naquilo que ouvimos, e a quem se revelou o braço do Senhor? Ele cresceu diante dele como um renovo, como raiz que brota de uma terra seca; não tinha beleza nem esplendor que pudesse atrair o nosso olhar, nem formosura capaz de nos deleitar.Era desprezado e abandonado pelos homens, um homem sujeito à dor, familiarizado com a enfermidade, como uma pessoa de quem todos escondem o rosto; desprezado, não fazíamos nenhum caso dele.E no entanto, era as nossas enfermidades que ele levava sobre si, as nossas dores que ele carregava. Mas nós o tinhamos como vítima do castigo, ferido por Deus e humilhado.





Mas ele foi trespassado por causa de nossas transgressões, esmagado em virtude de nossas iniqüidades.O castigo que havia de trazer-nos a paz, caiu sobre ele, sim, por suas feridas fomos curados.Todos nós como ovelhas, andávamos errantes, seguindo cada um o seu próprio caminho, mas o Senhor fez cair sobre ele a iniqüidade de todos nós. Foi maltratado, mas livremente humilhou-se e não abriu a boca, como cordeiro conduzido ao matadouro; como uma ovelha que permanece muda na presença de seus tosquiadores ele não abriu a boca.Após a detenção e julgamento, foi preso. Dentre os seus contemporâneos, quem se preocupou com o fato de ter ele sido cortado da terra dos vivos, de ter sido ferido pela transgressão do seu povo?Deram sepultura com os ímpios, o seu túmulo está com os ricos, se bem que não tivesse praticado violência nem tivesse havido engano em sua boca.





Mas o Senhor quis feri-lo, submetê-lo à enfermidade. Mas, se ele oferece a sua vida como sacrifício pelo pecado, certamente verá uma descendência, prolongará os seus dias, e por meio dele o desígnio de Deus há de triunfar.Após o trabalho fatigante de sua alma ele verá a luz e se fartará. Pelo seu conhecimento, o justo, meu Servo, justificará a muitos e levará sbre si as suas transgressões.Eis porque lhe darei um quinhão entre as multidões; com os fortes repartirá os despojos, visto que entregou sua alma à morte e foi contado com os transgressores, mas na verdade levou sobre si o pecado de muitos e pelos transgressores fez intercessão.




Palavra do Senhor
Salmo responsorial

Neste Salmo, recitado por Jesus na cruz, entrecruzam-se a confiança, a dor, a solidão e a súplica: com o Homem das dores, façamos nossa oração.

30, 2 e 6. 12-13. 15-16. 17 e 25.Senhor, em tuas mãos eu entrego meu espírito.
Senhor, eu me abrigo em ti: que eu nunca fique envergonhado; Salva-me por sua justiça. Leberta-me . em tuas mãos eu entrego meu espírito, é tu quem me resgatas, Senhor.
Pelos opressores todos que tenho já me tornei um escândalo; para meus vizinhos, um asco, e terror para meus amigos. Os que me vêem na rua fogem para longe de mim; fui esquecido, como um morto aos corações, estou como um objeto perdido.





Quanto a mim, Senhor, confio em ti, e digo: " tú és o meu Deus!". Meus tempos etão em tua mão: liberta-me da mão dos meus inimigos e perseguidores. Faze brilhar tua face sobre o teu servo, salva-me por teu amor. Sede firmes, fortalecei vosso coração, vós todos que esperais no Senhor.




Segunda leitura

O Sacerdote é o que une Deus ao homem e os homens a Deus… Por isso Cristo é o perfeito Sacerdote: Deus e Homem. O Único e Sumo e Eterno Sacerdote. Do qual o Sacerdócio: o Papa, os Bispos, os sacerdotes e dos Diáconos unidos a Ele, são ministros, servidores, ajudantes…
Leitura da Carta aos Hebreus 4,14-16; 5,7-9.



Temos, portanto, um sumo sacerdote eminente, que atravessou os céus: Jesus, o Filho de Deus. Permaneçamos, por isso, firmes na profissão de fé. Com efeito, não temos um sumo sacerdote incapaz de se compadecer das nossas fraquezas, pois ele mesmo foi provado em tudo como nós, com exceção do pecado. Aproximemo-nos, então, com segurança do trono da graça para conseguirmos misericórdia e alcançarmos graça, como ajuda oportuna.





É ele que, nos dias de sua vida terrestre, apresentou pedidos e súplicas, com veemente clamor e lágrimas, àquele que o podia salvar da morte; e foi atendido por causa da sua submissão. Embora fosse Filho, aprendeu, contudo, a obediência pelo sofrimento; e, levado à perfeição, se tornou para todos os que lhe obedeceram princípio da salvação eterna.





Palavra do Senhor.

Versículo antes o Evangelho (Fl 2, 8-9)
Cristo, por nós, humilhou-se e foi obediente até a morte, e morte de cruz. Por isso Deus o sobreexlatou grandemente e o agraciou com o Nome que é sobre todo o nome.
Como sempre, a celebração da Palavra, depois da homilia conclui-se com uma ORAÇÃO UNIVERSAL, que hoje tem mais sentido do que nunca: precisamente porque comtemplamos a Cristo entregue na cruz como Redentor da humanidade, pedimos a Deus a salvação de todos, crentes e não crentes.


3. Adoração da CruzDepois das palavras passamos a um ato simbólico muito expressivo e próprio deste dia: a veneração da Santa Cruz é apresentada solenemente a Cruz à comunidade, cantando três vezes a aclamação:



"Eis o lenho da Cruz, onde esteve pregada a salvação do mundo. Ó VINDE ADOREMOS", e todos ajoelhados uns instantes de cada vez, e então vamos, em procissão, venerar a Cruz pessoalmente, com um genuflexão (ou inclinação profunda) e um beijo (ou tocando-a com a mão e fazendo o sinal da cruz ); enquanto cantamos os louvores ao Cristo na Cruz :4. A comunhão

Desde de 1955, quando Pio XII decidiu, na reforma que fez na Semana Santa, não somente o sacerdote - como até então - mas também os fiéis podem comungar com o Corpo de Cristo.
Ainda que hoje não haja propriamente Eucaristia, mas comungando do Pão consagrado na celebração de ontem, Quinta-feira Santa, expressamos nossa participação na morte salvadora de Cristo, recebendo seu "Corpo entregue por nós".

FONTE:









DIA: 22.03.2008 SÁBADO SANTO...E DIA MUNDUAL DA ÁGUA...









O sábado é o segundo dia do Tríduo: no chão junto à ele, durante sete dias e e sete noites com Cristo no sepulcro.


"Durante o Sábado santo a Igreja permanece junto ao sepulcro do Senhor, meditando sua paixão e sua morte, sua descida à mansão dos mortos e esperando na oração e no jejum sua ressurreição (Circ 73).


No dia do silêncio: a comunidade cristã vela junto ao sepulcro. Calam os sinos e os instrumentos. É ensaiado o aleluia, mas em voz baixa. É o dia para aprofundar. Para contemplar. O altar está despojado. O sacrário aberto e vazio.





A Cruz continua entronizada desde o dia anterior. Central, iluminada, com um pano vermelho com o louro da vitória. Deus morreu. Quis vencer com sua própria dor o mal da humanidade. É o dia da ausência. O Esposo nos foi arrebatado. Dia de dor, de repouso, de esperança, de solidão. O próprio Cristo está calado. Ele, que é Verbo, a Palavra, está calado. Depois de seu último grito da cruz "por que me abandonaste?", agora ele cala no sepulcro. Descansa: "consummantum est", "tudo está consumado". Mas este silêncio pode ser chamado de plenitude da palavra. O assombro é eloqüênte. "Fulget crucis mysterium", "resplandece o mistério da Cruz".




O Sábado é o dia em que experimentamos o vazio. Se a fé, ungida de esperança, não visse no horizonte último desta realidade, cairíamos no desalento: "nós o experimentávamos… ", diziam os discípulos de Emaús.

É um dia de meditação e silêncio. Algo pareceido à cena que nos descreve o livro de Jó, quando os amigos que foram visitá-lo, ao ver o seu estado, ficaram mudos, atônitos frente à sua imensa dor: "Sentaram-se no chão ao lado dele, sete dias e sete noites, sem dizer-lhe uma palavra, vendo como era atroz seu sofrimento" (Jó. 2, 13).




Ou seja, não é um dia vazio em que "não acontece nada". Nem uma duplicação da Sexta-feira. A grande lição é esta: Cristo está no sepulcro, desceu à mansão dos mortos, ao mais profundo em que pode ir uma pessoa. E junto a Ele, como sua Mãe Maria, está a Igreja, a esposa. Calada, como ele. O Sábado está no próprio coração do Tríduo Pascal. Entre a morte da Sexta-feira e a ressurreição do Domingo nos detemos no sepulcro. Um dia ponte, mas com personalidade. São três aspectos -não tanto momentos cronológicos- de um mesmo e único mistério, o mesmo da Páscoa de Jesus: morto, sepultado, ressuscitado:


"...se despojou de sua posição e tomou a condição de escravo…se rebaixou até se submeter inclusive à morte, quer dizer, conhecesse o estado de morte, o estado de separação entre sua alma e seu corpo, durante o tempo compreendido entre o momento em que Ele expirou na cruz e o momento em que ressuscitou. Este estado de Cristo morto é o mistério do sepulcro e da descida à mansão dos mortos. É o mistério do Sábado Santo em que Cristo depositado na tumba manifesta o grande repouso sabático de Deus depois de realizar a salvação dos homens, que estabelece na paz o universo inteiro".



Vigília Pascal

A celebração é no sábado à noite, é uma Vigília em honra ao Senhor, segundo uma antiqüíssima tradição, (Ex. 12, 42), de maneira que os fiéis, seguindo a exortação do Evangelho (Lc. 12, 35 ss), tenham acesas as lâmpadas como os que aguardam a seu Senhor quando chega, para que, ao chegar, os encontre em vigília e os faça sentar em sua mesa.




A Vigília Pascal se desenvolve na seguinte ordem:


Breve Lucernário
Abençõa-se o fogo. Prepara-se o círio no qual o sacerdote com uma punção traça uma cruz. Depois marca na parte superior a letra Alfa e na inferior Ômega, entre os braços da cruz marca as cifras do anos em curso. A continuação se anuncia o Pregão Pascal.


Liturgia da Palavra
Nela a Igreja confiada na Palavra e na promessa do Senhor, media as maravilhas que desde os inícios Deus realizou com seu povo.



Liturgia Batismal
São chamados os catecúmenos, que são apresentados ao povo por seus padrinhos: se são crianças serão levados por seus pais e padrinhos. Faz-se a renovação dos compromissos batismais.




Liturgia Eucarística
Ao se aproximar o dia da Ressurreição, a Igreja é convidada a participar do banquete eucarístico, que por sua Morte Ressurreição, o Senhor preparou para seu povo. Nele participam pelas primeira vez os neófitos.



Toda a celebração da Vigília Pascal é realizada durante a noite, de tal maneira que não se deva começar antes de anoitecer, ou se termine a aurora do Domingo.




A missa ainda que se celebre antes da meia noite, é a Missa Pascal do Domingo da Ressurreição. Os que participam desta missa, podem voltar a comungar na segunda Missa de Páscoa.


O sacerdote e os ministros se revestem de branco para a Missa. Preparam-se os velas para todos os que participem da Vigília.

FONTE:


A Assembléia Geral das Nações Unidas adotou a resolução A/RES/47/193 de 22 de fevereiro de 1993, através da qual 22 de março de cada ano seria declarado Dia Mundial das Águas (DMA), para ser observado a partir de 93, de acordo com as recomendações da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento contidas no capítulo 18 (sobre recursos hídricos) da Agenda 21. E através da Lei n.º 10.670, de 14 de maio de 2003, o Congresso Nacional Brasileiro instituiu o Dia Nacional da Água na mesma data.



Os Estados foram convidados, como fosse mais apropriado no contexto nacional, a dedicar o Dia a atividades concretas que promovessem a conscientização pública através de publicações e difusão de documentários e a organização de conferências, mesas redondas, seminários e exposições relacionadas à conservação e desenvolvimento dos recursos hídricos e/ou a implementação das recomendações da Agenda 21.

No mês em que se comemora o Dia Mundial da Água, é preciso lembrar que, em diversos lugares do planeta, milhares de pessoas já sofrem com a falta desse bem essencial à vida.A água é um bem precioso e insubstituível. É um elemento da natureza, um recurso natural. Na natureza podemos encontrar a água em três estados: sólido (gelo), gasoso (vapor) e líquido. Ainda classificando a água ela pode ser: doce, salobra e salgada.




É de domínio público e de vital importância para a existência da própria vida na Terra. A água é um recurso natural que propicia saúde, conforto e riqueza ao homem, por meio de seus incontáveis usos, dos quais se destacam o abastecimento das populações, a irrigação, a produção de energia, o lazer, a navegação.



De acordo com a “Gestão dos Recursos Naturais da Agenda 21, a água pode ainda assumir funções básicas, como:


- Biológica: constituição celular de animais e vegetais.- Natural: meio de vida e elemento integrante dos ecossistemas.- Técnica: aproveitada pelo homem através das propriedades hidrostática, hidrodinâmica, termodinâmica entre outros fatores para a produção.- Simbólica: valores culturais e sociais.




Muito se fala em falta de água e que, num futuro próximo, teremos uma guerra em busca de água potável. O Brasil é um país privilegiado, pois aqui estão 11,6% de toda a água doce do planeta. Aqui também se encontram o maior rio do mundo - o Amazonas - e o maior reservatório de água subterrânea do planeta - o Sistema Aqüífero Guarani.No entanto, essa água está mal distribuída: 70% das águas doces do Brasil estão na Amazônia, onde vivem apenas 7% da população. Essa distribuição irregular deixa apenas 3% de água para o Nordeste. Essa é a causa do problema de escassez de água verificado em alguns pontos do país. Em Pernambuco existem apenas 1.320 litros de água por ano por habitante e no Distrito Federal essa média é de 1.700 litros, quando o recomendado são 2.000 litros.



Mas, ainda assim, não se chega nem próximo à situação de países como Egito, África do Sul, Síria, Jordânia, Israel, Líbano, Haiti, Turquia, Paquistão, Iraque e Índia, onde os problemas com recursos hídricos já chegam a níveis críticos. Em todo o mundo, domina uma cultura de desperdício de água, pois ainda se acredita que ela é um recurso natural ilimitado. O que se deve saber é que apesar de haver 1,3 milhão de km\3 livre na Terra, segundo dados do Ministério Público Federal, nem sequer 1% desse total pode ser economicamente utilizado, sendo que 97% dessa água se encontra em áreas subterrâneas, formando os aqüíferos, ainda inacessíveis pelas tecnologias existentes.




Políticas públicas e um melhor gerenciamento dos recursos hídricos em todos os países tornam-se hoje essenciais para a manutenção da qualidade de vida dos povos. Se o problema de escassez já existente em algumas regiões não for resolvido, ele se tornará um entrave à continuidade do desenvolvimento do país, resultando em problemas sociais, de saúde, entre outros.

O país está tomando medidas concretas para impedir esse futuro, entre elas a criação da Agência Nacional de Águas, a sobreposição do rio São Francisco, adoção de técnicas de reuso de água e construção de infra-estrutura de saneamento, já que hoje 90% do esgoto produzido no país é despejado em rios, lagos e mares sem nenhum tratamento.



Segundo a Organização das Nações Unidas - ONU, 50% da taxa de doenças e morte nos países em desenvolvimento ocorrem por falta de água ou pela sua contaminação. Assim sendo, o rápido crescimento da população mundial e a crescente poluição, causado também pela industrialização, torna a água o recurso natural mais estratégico de qualquer país do mundo.



Para cada 1.000 litros de água utilizados, outros 10 mil são poluídos. Segundo a ONU, parece estar cada vez mais difícil se conseguir água para todos, principalmente nos países em desenvolvimento. Dados do International Water Management Institute - IWMI mostram que, no ano de 2025, 1.8 bilhão de pessoas de diversos países deverão viver em absoluta falta de água, o que equivale a mais de 30% da população mundial. Diante dessa constatação, cabe lembrar que a água limpa e acessível se constitui em um elemento indispensável para a vida humana e que, para se tê-la no futuro, é preciso protegê-la para evitar o futuro caótico previsto para a humanidade, quando homens de todos os continentes travarão guerras em busca de um elemento antes tão abundante: a água.



Devido à grande expansão urbanística, a industrialização, a agricultura e a pecuária intensivas e ainda à produção de energia elétrica - que estão estreitamente associadas à elevação do nível de vida e ao crescimento populacional - crescentes quantidades de água passaram a ser exigidas.
As crescentes necessidades de água, a limitação dos recursos hídricos, os conflitos entre alguns usos e os prejuízos causados pelo excesso de água exigem um planejamento bem elaborado pelos órgãos governamentais, estaduais e municipais, visando técnicas de melhor aproveitamento dos recursos hídricos. Além das responsabilidades públicas, cada cidadão tem o direito de usufruir da água mas o dever de preservá-la, utilizando-a de maneira consciente, sem desperdícios, assim dando o valor devido à água.


" Use a água racionalmente... a fonte não pode secar" !





FONTE: